Recursos Humanos Estratégico: o RH no planejamento das organizações

Recursos Humanos Estratégico: o RH no planejamento das organizações
8 minutos de leitura

É verdade que estamos vivendo, nesses últimos anos, várias mudanças socioeconômicas que alteram o curso de algumas rotas já pré-definidas nos momentos de planejamento das estratégias organizacionais das empresas. No entanto, você já parou para pensar na contribuição do chamado Recursos Humanos Estratégico em todo esse processo?

Sobretudo, a partir do momento em que a área de Recursos Humanos se converte em peça-chave na elaboração e concretização do planejamento estratégico de um negócio, ele amplia suas chances de permanência no mercado. Então, a diversificação e o crescimento gradual das receitas ficam bem próximos de se tornarem realidade.

Quer saber como tudo isso funciona? Veja como o Recursos Humanos estratégico faz toda a diferença nos resultados de qualquer empresa!

Qual é a importância do Recursos Humanos estratégico?

Um Recursos Humanos estratégico faz toda diferença no planejamento da empresa, para que as ações tenham sempre o foco do que é preciso ter e como realizar.

Uma vez que, por melhor definidos que sejam os processos de uma empresa, com os objetivos estratégicos claros e a visão ideal para os próximos anos, tudo isso só será possível se as pessoas estiverem envolvidas na busca desses resultados.

O RH não pode ser um coadjuvante

O RH de algumas empresas exerce uma participação coadjuvante nesse momento de suma importância para as organizações. Em outras palavras, a atuação é apenas a de organizador de eventos e facilitador de dinâmicas.

Não podemos generalizar, isso é fato. Até porque várias empresas vêm entendendo o importante e fundamental papel do RH para esses momentos. A necessidade de envolver as pessoas faz parte do sucesso do negócio.

Mais do que tendência, a área de Recursos Humanos necessita estar alinhada com a estratégia da empresa. Ou seja, não se deve apenas se ater à busca das metas e resultados previstos no planejamento estratégico. Hoje, as organizações necessitam cada vez mais que o profissional de RH saiba projetar tendências, desenhar cenários e buscar constantemente por soluções inovadoras.

O que é o planejamento estratégico?

Antes de começarmos a falar sobre o peso e importância do RH nesse momento, vamos entender o conceito do planejamento estratégico.

Algumas definições abordam esse momento como um conjunto de mecanismos sistêmicos e gerenciais que utiliza processos metodológicos para, dentro de um contexto, definir o estabelecimento de metas para um período definido pela empresa.

O planejamento estratégico tem a função de direcionar a organização — e seus recursos — para o alcance de um objetivo maior que é a excelência e qualidade dos serviços e produtos. Ao passo que, somam-se a isso a inovação, flexibilidade e a manutenção da geração de receita contínua e crescente. Basicamente, tal planejamento segue as duas premissas comentadas logo abaixo.

Análise constante do mercado

Manter a receita para que os sócios continuem interessados em investir no negócio faz com que os líderes precisem estar sempre atentos nas análises de cenário, avaliar os riscos dos novos projetos, dos já existentes e principalmente quais são as oportunidades e as ameaças que se apresentam. Concomitantemente, é preciso conceber ações que mitiguem essas ameaças.

Normalmente, os estudos do cenário mercadológico são realizados com base na metodologia de análise SWOT, termo em inglês para Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats, que significam Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, respectivamente.

Olhar direcionado ao futuro

Em síntese, podemos dizer que o planejamento estratégico é recurso metodológico que tem como objetivo fazer com que a empresa saia de seu estado atual e “chegue” até o lugar em que ela gostaria de estar no futuro.

Nesse momento, são desdobrados vários projetos, indicadores e metas que serão implementadas nos próximos anos na organização.

Qual o papel do planejamento no Recursos Humanos estratégico?

A empresa pode montar o melhor planejamento estratégico (PE) de sua existência, ter os melhores objetivos com os melhores projetos, produtos e a melhor estrutura. Contudo, de nada valerá todos esses recursos, se os seus colaboradores não estiverem comprometidos e engajados com o que está sendo proposto nas metas.

Primeiramente, a responsabilidade de tornar o recursos humanos estratégico é do setor de RH. Embora não seja responsabilidade exclusiva dele fazer isso, hoje esse setor tem sido o guardião desse cuidado.

O RH é uma ponte para os colaboradores

O setor de Recursos Humanos funciona como um intermediário na comunicação entre os gestores e os colaboradores, além de desdobrar as necessidades em ações. 

Contribuir com a estratégia, pensando em ações para o desenvolvimento é apenas uma das ações que o RH pode fazer para esse momento, além disso ele exerce papel importantíssimo na reverberação das ações do que foi traçado para todos da organização. Para que isso aconteça, algumas atividades já podem ser feitas:

  • repassar de forma clara e objetiva a estratégia da empresa para cada área e colaborador; 
  • auxiliar os gestores na comunicação das ações realizadas no decorrer do ano;
  • criar análises de desempenho, em parceria com as lideranças de cada colaborador, conhecendo o perfil de cada pessoa e como ela se encaixa nos planos da empresa;
  • trabalhar o nível de satisfação interna, melhorar a percepção do colaborador em relação à empresa impacta diretamente no tipo de entrega e no envolvimento.

Quais seria um bom case de sucesso proporcionado pelo planejamento estratégico?

Antes de tudo, para explicar melhor a importância do Recursos Humanos estratégico nas empresas, confira abaixo um case de sucesso de uma fabricante de calçados com sede no Ceará. 

Inovação com preço competitivo

A Grendene é uma das maiores produtoras mundiais de calçados. A empresa tem investido em tecnologia na linha de produção de calçados atuando para os públicos feminino, masculino e infantil de forma totalmente integrada.

Sua capacidade produtiva é de até 250 milhões de pares ao ano, chegando a uma média de 800.000 pares/dia. Ela tem 6 unidades industriais e os principais pontos de produção estão nas regiões Sul e Nordeste.

O seu quadro de colaboradores em 2016 chegou a 11 mil com taxa anual de turnover de 1,77%. No planejamento estratégico da empresa em 2007 foi decidido lançar para o mercado uma sandália que tivesse o preço competitivo e qualidade para abocanhar uma fatia de mercado de sandálias de dedo que até então tinha como empresa conhecida as Havaianas. 

Lançamento de um novo produto

Em julho de 2010, aconteceu o lançamento das sandálias Ipanema. Primeiramente, o lançamento foi um sucesso e contava com a garota propaganda Gisele Bündchen abordando temática indígena para representar a brasilidade, conforto e elegância.

Claro que, além de muita pesquisa e análise de mercado dos diretores, foi preciso contar com a participação incisiva do RH nesse processo de posicionamento da marca.

Algumas mudanças foram necessárias para conquistar essa meta. Então, a principal estratégia foi transformar as rotinas do DP em uma abordagem mais ampla e efetiva, com um RH estratégico, que exercesse uma função mais decisiva. Portanto, voltado plenamente para o negócio e os resultados da companhia. Veja algumas ações realizadas:

  • unificação processos nas 6 unidades;
  • amplificação da área para uma atuação mais estratégica, o Desenvolvimento Humano Organizacional (DHO);
  • reestruturação dos perfis dos cargos com competências e valores requeridos para que se pudessem utilizar em todas as unidades;
  • intensificação da proximidade e conhecimento com as áreas de negócio, para conhecer melhor o profissional que cada setor precisava.

Como o RH se envolve nos processos?

Em um mercado cada vez mais competitivo, um planejamento estratégico eficaz depende de um conjunto de mecanismos bem pensado, além de uma análise criteriosa do mercado e dos concorrentes.

O planejamento estratégico também vincula todos os setores, principalmente o RH para ajudar nas questões necessárias, como posicionamento, adequação da cultura, comunicação das estratégias e revisão de competências para os cargos.

Como tornar o setor de Recursos Humanos Estratégico?

Muitas vezes, entretanto, restam muitas dúvidas na hora de implantar um Recursos Humanos Estratégico. Problema esse que será resolvido por meio das dicas que exibiremos na sequência. Acompanhe!

Considere os objetivos organizacionais

Como comentamos, ter à disposição um RH mais atuante visa elevar o potencial do próprio planejamento estratégico da empresa. Para tanto, espera-se que a área de Recursos Humanos vá muito além da gestão de pessoas.

O propósito deve ser calcado na necessidade de estudar as necessidades profissionais de cada departamento e em qual grau isso afeta a estratégia de toda a organização. Desse modo, é possível elaborar grupos de medidas que funcionem de maneira harmônica e em plena sintonia com os objetivos organizacionais.

Defina os objetivos da área de Recursos Humanos da empresa

Com o intuito de realmente contribuir para a evolução positiva da empresa, o RH precisa manter um olhar criterioso sobre as equipes de trabalho. Constantemente atualizadas, as pessoas que trabalham na área de Recursos Humanos devem montar os times embasados em fatores-chave para a ampliação da competitividade no mercado.

Nesse sentido, é fundamental observar de forma analítica não só as tendências gerais do nicho de atuação do negócio, mas também considerar o que as empresas concorrentes têm feito. Sem tirar os olhos do profissional do presente, cabe ao RH vislumbrar quais características serão imprescindíveis em um futuro não muito distante.

Durante essa fase de descoberta, as chances de se deparar com as verdadeiras causas de um índice de turnover alto são significativas. Ao mesmo tempo, fica mais evidente qual é o impacto do desempenho individual no resultado apresentado pelas equipes ao longo de determinados intervalos.

Na prática, é como se o RH passasse a efetuar um raio-x nos aspectos indispensáveis para o ganho e melhora da produtividade dos setores. Assim, fica mais fácil enxergar as habilidades que faltam para que as metas possam ser mais ousadas — sem se tornarem inatingíveis, evidentemente.

Em alguns casos, números aquém da expectativa podem ser explicados pela ausência de profissionais com perfil mais específico. Em uma situação desse tipo, nem sempre contratar é a solução. Às vezes, a “matéria-prima” está ali e só precisa ser lapidada. Aqui, entra em cena a criação de cronogramas de treinamentos que, de fato, colaborem para as ambições estratégicas da organização.

Introduza a cultura da inovação

Outro fator preponderante para que o Recursos Humanos estratégico proporcione os resultados desejados consiste na consolidação de uma cultura de inovação. Frequentemente associada a dispositivos eletrônicos e de informática, a inovação viaja mais longe quando se transforma em uma cultura dentro das empresas.

Sim, inovar se torna mais fácil por conta da incorporação de ferramentas tecnológicas. No entanto, vale notar que ser inovador, em essência, reside em encontrar modos diferentes e mais efetivos de realizar os mesmos procedimentos. Tal conclusão explica porque, se levada a fundo, a inovação passa a ser um elemento decisivo no mapeamento e remodelação de processos.

Mais do que nunca, pensar de maneira inovadora é determinante para que o RH aja de modo estratégico. Assim, leva-se menos tempo para constatar eventuais falhas e, sobretudo, para propor soluções eficientes. Isso faz com que os obstáculos sejam menos cansativos, o que favorece o bem-estar dos colaboradores. A partir daí, até o clima organizacional tende a melhorar ao longo dos meses e anos.

Invista na melhoria da qualidade da gestão

Falamos há pouco a respeito da relevância dos treinamentos para suprir necessidades específicas de funcionários ou equipes. Note que a qualidade da área de Recursos Humanos estratégica depende consideravelmente da aptidão dos gestores.

Sobretudo, a empresa pode usufruir de uma estratégia detalhada e acurada. Ela será nula ou renderá abaixo do imaginado, se não houver um bom desenvolvimento da liderança no RH. Portanto, aprimorar a capacidade de gestão em liderar é igualmente primordial.

Um líder pronto para conduzir o plano de ação (próximo tópico) deve reunir um dado conjunto de características, como:

  • saber reconhecer os próprios limites e delegar de tarefas a terceiros, quando necessário;
  • valorizar o que os membros da equipe têm a acrescentar;
  • devolver feedbacks regularmente;
  • capacidade de manter os colaboradores motivados;
  • rapidez diante de processos de tomada de decisão delicados e urgentes.

Além do fato de tais habilidades serem apenas alguns exemplos, os gestores costumam exibir várias delas. Ocasionalmente, eles só precisam aperfeiçoar certos pontos. Nesse aspecto, deve haver a avaliação dos diretores.

Porém, também é interessante que o próprio profissional à frente da equipe de RH tenha um bom senso crítico com relação ao próprio desempenho. Como de praxe, a autocrítica apurada ajuda e muito na fase de desenvolvimento de um líder exemplar.

Estabeleça um plano de ação

O referido plano é fruto do agrupamento das propostas de encaminhamentos para suprir as lacunas detectadas. Trata-se, efetivamente, das medidas a serem adotadas para que o RH se configure em elemento propício a auxiliar no alcance dos objetivos estratégicos organizacionais.

Dito isso, recomenda-se que, já com boa dose da cultura de inovação, as saídas listadas anteriormente adquiram corpo sob a forma de ações concretas. Conforme as intervenções sejam listadas, é interessante conceber contrapontos, a fim de considerar as possíveis desvantagens de todas elas.

Logo, vale a pena recorrer ao método 5W2H. A expressão deriva do inglês e se refere a 7 questionamentos pertinentes:

  • por quê?
  • O quê?
  • Onde?
  • Quem?
  • Quando?
  • Quanto?
  • Como?

Como você pode ver, as perguntas explicam desde a justificativa de cada solução ao custo que ela pode gerar para a empresa. Dessa forma, o plano de ação fica mais organizado, o que ajuda inclusive a gerenciá-lo.

Envolva os demais departamentos do negócio

Por fim, todo o processo precisa engajar equipes e colaboradores de diferentes áreas da empresa. A interação torna as dificuldades departamentais conhecidas por todos. Entre outras vantagens, isso contribui bastante para a descoberta de soluções alinhadas às reais necessidades de cada setor.

Com todas essas dicas valiosas, sua empresa finalmente terá um setor de Recursos Humanos Estratégico, ou seja, pronto para auxiliá-la em seu pleno desenvolvimento interno. Consequentemente, o negócio estará melhor preparado para lidar com qualquer cenário, incluindo os mais complexos e adversos, como o atual.

Quer receber outras dicas decisivas para melhorar a gestão do RH da sua empresa? Assine a nossa newsletter!

Você também vai gostar destes conteúdos 👇
📌 Caso de Sucesso do Grupo Conquista
📌 Como fazer o PDI com a ajuda de um sistema
📌 Como entrevistar um candidato com perguntas criativas e eficientes?

SST no eSocial Os 06 maiores impactos
Não perca mais nenhuma novidade!

Não perca mais nenhuma novidade!


Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos sobre empreendedorismo e marketing digital.