Gestão financeira

Cheques para pagamentos na empresa: veja alguns cuidados necessários

fortes-tecnologia-cheques-para-pagamentos-na-empresa
Atualizado em: 09/01/2019 Tempo estimado de leitura: 7 minutos

Entre 1995 e 2015, o uso de cheques como meio de pagamento diminuiu em 79,84%. Ainda assim, esse tipo de transação representou, segundo a Federação Brasileira de Bancos, mais 755,8 milhões de pagamentos.

Diante desse cenário, muitos empresários ficam em dúvida se devem ou não fazer uso de cheques em seu negócio. Para te ajudar a resolver esse dilema, criamos este post.

Aqui, você vai ver quais são as vantagens e os cuidados que devem ser tomados, além de conferir dicas para manter o controle sobre esse e outros meios de pagamento na sua empresa. Acompanhe!

Quais são as vantagens de aceitar cheques?

Formalização adequada para grandes compras

Se sua empresa lida com produtos ou serviços com grande valor comercial, o uso do cheque pode ser indispensável para viabilizar uma venda. Afinal, boa parte da população tem limites não muito elevados de crédito no cartão ou não gostariam de comprometer seu crédito rotativo com uma única compra.

Além disso, o cheque deixa mais claro em compras de grande valor quem se responsabilizou pelo pagamento. Por exemplo: em empresas é comum que a pessoa que faz toda a análise técnica e a negociação para a aquisição de algum produto ou serviço não seja a mesma pessoa responsável por realizar o pagamento e a assinatura do cheque.

Ter um documento com uma assinatura do responsável pelo pagamento torna mais fácil identificar a pessoa e agilizar o processo de quitação de pendências. Por fim, existem diversos casos de jurisprudência favoráveis às empresas que venderam algo e não receberam.

Tanto que as incorporadoras e as imobiliárias de imóveis, por exemplo, usam muito desse meio de pagamento para realizar as suas transações.

Adequação ao mercado B2B

Se a sua empresa vende para outras empresas (business to business ou B2B), aceitar cheques pode ser destacado como uma boa vantagem. Exatamente por não comprometer os limites de crédito do cliente e por funcionar quase que como uma linha de crédito alternativo, o uso de cheques pode ser apresentado como um diferencial competitivo e um acelerador de vendas.

Antecipação de recebíveis

Em caso de problemas com o seu capital de giro, os cheques podem ser usados na modalidade de antecipação de recebíveis para obter crédito ou financiamento junto às instituições financeiras.

Nessa situação, você vende os seus cheques pré-datados para os bancos ou para as empresas de factoring, que são instituições que antecipam o crédito cobrando uma taxa sobre o valor total do documento. Essa taxa varia de 2,20% a 7% sobre o total; ao mesmo tempo, ela se compromete a não realizar a compensação do cheque antes da data acordada entre você e o seu cliente.

Logo, ter cheques pré-datados pode ser uma boa alternativa para conseguir crédito adicional em momentos de dificuldades com o caixa da sua empresa. Aqui vale destacar 3 dicas:

  1. Avalie se a taxa oferecida pela antecipação de recebíveis é menor que a de outras linhas de crédito. Caso contrário, ela não compensará;
  2. Analise se, ao antecipar os recebíveis, você não está criando um saldo negativo no seu fluxo de caixa que dificilmente será superado com as suas atividades comerciais. Nesse caso, você poderá criar um efeito bola de neve na sua administração financeira;
  3. Consulte seu contador para que ele apoie a tomada de decisão, avaliando se a antecipação de recebíveis é de fato a melhor alternativa para a sua empresa ou se obter crédito junto a uma instituição financeira seria algo mais recomendado para sua situação específica.

Redução de taxas cobradas pelas administradoras

As operadoras de cartões de crédito cobram em média 6% sobre as transações que usam esse meio de pagamento, sendo que ainda podem taxar o aluguel da máquina de cartões de crédito e percentuais adicionais sobre cada parcela em que a compra for efetivada.

Já com o uso de cheques pré-datados, essas taxas deixam de existir para a sua empresa. É por esse motivo, também, que muitas empresas preferem o uso do cheque, e não de cartões para grandes transações.

4 cuidados necessários para uso do cheque como meio de pagamento:

Agora que você já sabe quais são as vantagens, destacamos 4 cuidados básicos que precisam ser tomados ao se aceitar o uso do cheque como meio de pagamento.

Consulte o histórico de pagador do cliente

Apesar de o índice de cheques devolvidos por falta de fundos ser inferior a 2,6% nos últimos 10 anos, segundo a Boa Vista SCPC, o 1º cuidado que a sua empresa deve ter no uso de cheque é verificar o histórico cliente. Para facilitar essa rotina de consultas, o Banco Central criou o Cadastro dos Emitentes de Cheques sem Fundos, no qual os bancos são obrigados a informar todos os seus clientes que tenham seus cheques devolvidos por falta de fundos.

Usar alguns serviços de validação de crédito também pode ser bastante útil para uma análise mais profunda do perfil de inadimplência do cliente.

Valide o correto preenchimento do cheque

Erros de preenchimento, rasuras ou incompatibilidade da assinatura do emitente podem invalidar o cheque e impedir que o banco faça a sua compensação e o devolva para a sua empresa. Existem 5 campos que precisam ser verificados para evitar esse problema:

Valor numérico

Normalmente as pessoas escrevem o valor entre “#” para indicar o espaço destinado ao valor e evitar rasuras ou inclusão de novos números. O importante, nesse caso, é avaliar se o valor está escrito corretamente e se ele indica os centavos.

Valor escrito

Deve corresponder ao valor numérico. Erros ortográficos não o invalidam, e os centavos não precisam ser citados.

Destinatário

Quase sempre as pessoas não preenchem esse campo, e caso você deseje utilizar o cheque para realizar novas transações, como a antecipação de recebíveis, ele deve ficar em branco.

Caso contrário, peça para o cliente incluir o nome do titular da conta onde o cheque será compensado para que somente essa pessoa ou empresa possa realizar a compensação do cheque. Isso impedirá que um furto ou a perda gere transtornos para você ou para o cliente.

Localização

Cidade, dia, mês e ano de emissão do cheque são fundamentais para determinar sua validade.

Assinatura

Não há como ter certeza de como o cliente registrou sua assinatura no banco, mas checar os dados e assinatura utilizada no RG da pessoa pode ajudar a prevenir fraudes.

Confirme a titularidade

Lembre-se de que um cheque funciona como uma linha de crédito que a sua empresa está oferecendo, sem custos, para o cliente. Por isso, ao aceitar um cheque, peça para verificar os dados da conta bancária, normalmente disponíveis no cartão de débito da pessoa, e os documentos de identidade dela. Confrontar esses dados aos contidos no cheque é a melhor forma de prevenir fraudes e falsificações.

Anote os dados do cliente

Crie um registro on-line e anote no verso do cheque dados de contato e o endereço de quem apresentou o cheque. Em caso de transações entre empresas, anote os dados do funcionário que estiver entregando o cheque para você.

O uso de um software para otimizar esses processos

Ter um bom software de gestão financeira para gerenciar o fluxo de caixas, controlar os dados dos clientes e identificar o histórico de transações financeiras é o cuidado adicional que a sua empresa deve ter.

Com ele, você poderá checar o percentual de inadimplentes em cada tipo de pagamento (boleto, cheque, cartões de crédito ou debito e pagamento à vista), criar campanhas de incentivo para os tipos mais vantajosos para a sua loja, além de ter maior assertividade no gerenciamento do seu capital de giro e nas transações de antecipação de recebíveis.

E, então, o uso de cheques é benéfico para a sua empresa ou acredita que os seus riscos são maiores do que as suas vantagens? Para receber mais dicas, assine a nossa newsletter e descubra que a gestão financeira da sua empresa pode ser bem mais fácil do que você imagina!

Banners-internos-cta-blog-planilha-fluxo-de-caixa-mensalPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Geordânia Oliveira

Graduada em Administração de Empresas; Especialização em Gestão de Pessoas; MBA em Controladoria e Finanças; Com experiência 14 anos na área financeira; Consultora de Conhecimento Financeiro e Gestão de Estoque na Fortes Tecnologia em Sistemas; Produtora de Conteúdo sobre assuntos Financeiros; Instrutora do Fortes na Prática Presencial e Web; Instrutora dos Treinamentos dos Sistemas Fortes Financeiro e Fortes Compras e Estoque para os Colaboradores Internos, Clientes e Unidades da Fortes Tecnologia.

Deixar comentário.

Compartilhar