O que é EBITDA? Saiba para que serve e como calcular

O que é EBITDA? Saiba para que serve e como calcular
5 minutos de leitura

O mundo dos negócios é repleto de indicadores financeiros que podem ser usados para avaliar o desempenho de uma empresa. Um desses indicadores é o EBITDA. Embora seja um termo comum no mercado financeiro, muitas pessoas podem não estar familiarizadas com o que representa e como é calculado.

Trata-se de uma métrica muito utilizada para avaliar empresas na Bolsa de Valores. Ele informa o lucro da companhia antes dos descontos com impostos, juros, amortização e depreciação.

Neste artigo, explicamos o que é EBITDA e para que serve, como ele é calculado e qual é a sua importância para avaliar a saúde financeira de uma empresa. Também mostramos como ele pode ser usado em conjunto com outras métricas financeiras para uma análise mais completa do desempenho de uma empresa. Confira!

O que é EBITDA?

O EBITDA é um famoso e bastante utilizado indicador financeiro, cuja palavra é uma abreviação para o termo em inglês Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization, que, em português, quer dizer “Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização”, cujas iniciais geram a sigla LAJIDA como também é conhecido.

É um indicador que mostra quanto dinheiro a empresa está gerando antes de descontar os custos com juros, impostos e depreciação. Ele é muito importante para realizar uma avaliação mais profunda da realidade financeira de uma companhia, pois permite verificar seu potencial de geração de caixa.

Além disso, é um indicador que se concentra no desempenho operacional da empresa, excluindo os efeitos de custos financeiros, impostos e depreciação. Isso facilita comparar o desempenho de empresas em diferentes setores, porque elimina as variações na forma como as empresas financiam seus ativos.

Para que serve o EBITDA?

Esse indicador ajuda a analisar a rentabilidade da empresa, uma vez que ele considera as receitas e despesas antes das deduções de juros, impostos, depreciação e amortização.

Ele fornece um panorama mais amplo, um diagnóstico das finanças do negócio, permitindo que os investidores e analistas financeiros comparem o desempenho e a eficiência operacional de diferentes empresas. Isso é importante porque muitos custos são influenciados pelo gerenciamento da empresa, enquanto outros, como impostos e juros, são impostos externos.

O EBITDA também é usado pelos analistas para calcular o valor de empresas que estão avaliando investimentos ou operações de fusões e aquisições, pois o indicador ajuda a avaliar o potencial de geração de caixa da empresa. Isso é importante para os investidores que desejam investir em empresas com alto potencial de crescimento.

Como analisar o EBITDA?

A análise do EBITDA é uma maneira de avaliar a capacidade da empresa de gerar lucros e fluxos de caixa. Para entender melhor como a empresa está desempenhando, é fundamental olhar para o EBITDA em relação a outras métricas financeiras, como o lucro líquido, a receita e o fluxo de caixa livre.

Uma das maneiras mais comuns de analisar o EBITDA é calcular a margem EBITDA. Ela é calculada dividindo-se o EBITDA pela receita total da empresa. Uma margem EBITDA alta indica que a empresa está gerando um bom lucro operacional em relação às suas vendas.

Também é interessante observar como o EBITDA mudou ao longo do tempo, comparando os números trimestrais e anuais. A análise de tendências pode fornecer informações valiosas sobre como a organização está se saindo e se está melhorando ou piorando ao longo do tempo.

Como utilizar o EBITDA?

Ao calcular o EBITDA, é possível avaliar a rentabilidade operacional da empresa, excluindo os efeitos dos custos financeiros, impostos, depreciação e amortização. Embora seja uma métrica importante, é importante usá-lo em conjunto com outras métricas financeiras para obter uma visão mais completa do desempenho da empresa.

A seguir, estão algumas maneiras de utilizá-lo.

Comparação com empresas do mesmo setor

Uma das principais maneiras de utilizar o EBITDA é comparar o desempenho operacional de uma empresa com outras empresas do mesmo setor. Isso ajuda a entender como ela está se saindo em relação às concorrentes e se está operando de forma eficiente.

Por exemplo, se a empresa tiver um EBITDA maior do que a média de outras do mesmo setor, isso pode indicar que ela está operando de forma mais eficiente do que a concorrência.

banner-artigo-blog-calendario-de-obrigacoes-fiscais-2024

Análise de tendências

Outra maneira de utilizar o EBITDA é analisar as tendências ao longo do tempo. Comparar o EBITDA trimestral ou anual de uma empresa pode ajudar a identificar padrões e tendências em seu desempenho operacional. Se ele estiver aumentando ao longo do tempo, isso pode indicar que a empresa está crescendo e se tornando mais rentável.

Por outro lado, se ele estiver diminuindo ao longo do tempo, pode ser um sinal de problemas financeiros na empresa.

Avaliação de empresas em processo de fusão ou aquisição

O EBITDA é frequentemente usado em avaliações de empresas em processo de fusão ou aquisição. Isso ocorre porque ele exclui os efeitos da depreciação e amortização, que podem ser influenciados pela contabilidade da empresa.

Ao usar o EBITDA para avaliar uma empresa, os investidores podem ter uma visão mais clara de sua rentabilidade operacional e fazer uma análise mais precisa de seu valor.

Avaliação de investimentos

Os investidores também podem utilizar o EBITDA para avaliar o potencial de retorno de um investimento. Ao calculá-lo, é possível avaliar a capacidade do negócio de gerar fluxo de caixa livre. Isso pode ajudar os investidores a determinar se uma empresa consegue gerar um retorno significativo sobre o investimento.

Como calcular o EBITDA?

O cálculo do EBITDA é relativamente simples. Basta somar os lucros da empresa antes dos descontos com impostos, juros, depreciação e amortização. O cálculo pode ser representado pela seguinte fórmula:

EBITDA = Resultado Líquido + Juros + Impostos + Depreciação + Amortização

Calculadora EBITDA

CALCULADORA EBITDA

EBITDA:

Para calcular o EBITDA, é necessário ter as informações de receita total, custos variáveis, despesas operacionais, impostos, juros, depreciação e amortização da empresa. A receita total inclui todas as receitas geradas pela empresa, enquanto os custos variáveis incluem todos os custos diretamente associados à produção e às vendas, como matéria-prima, mão de obra e logística.

As despesas operacionais incluem todos os custos associados ao funcionamento da empresa, como salários, aluguel, energia elétrica e despesas com marketing.

Uma vez que as informações são coletadas, basta aplicar a fórmula anterior para obter o EBITDA da empresa.

Passos importantes para calcular o EBITDA

Como vimos, a receita total não vai diretamente no cálculo, por isso, é necessário a partir dela extrair o lucro líquido. Dessa forma, calcule o resultado líquido da empresa subtraindo números obtidos dos custos, despesas, impostos e juros. Veja esses 3 passos importantes a seguir:

  1. Obtenha as informações de receita total, custos variáveis, despesas operacionais da empresa e impostos.
  2. Subtraia os custos variáveis da receita total. O resultado será o lucro bruto da empresa.
  3. Subtraia as despesas operacionais e impostos do lucro bruto. O resultado será o Lucro Líquido da empresa.

Após calcular o EBITDA, é possível analisá-lo em conjunto com o lucro líquido, o fluxo de caixa e a margem EBITDA.

Lembre-se de que o EBITDA é apenas uma medida da eficiência operacional da empresa e não deve ser usada como a única métrica de avaliação financeira da organização. Por isso, é importante combiná-lo com outros recursos de avaliação e análises para obter uma visão mais completa da empresa.

Resumindo, neste post, você pôde conferir o que é o EBITDA e sua importância para uma avaliação concreta dos fluxos financeiros e para obter uma visão mais completa de uma corporação. Ele permite analisar o potencial de geração de caixa, ajudando os investidores a compararem a eficiência operacional de diferentes empresas.

O cálculo do EBITDA é relativamente simples e pode ser feito a partir das informações de receita total, custos variáveis e despesas operacionais da empresa.

Esse post foi relevante para você? Que tal continuar em contato com o nosso conteúdo? Leia também o artigo sobre: O que é ITCMD? Entenda esse imposto estadual.

Últimos posts

ebook-difal
banner-artigos-carga-tributaria-brasileira
Não perca mais nenhuma novidade!

Cadastre-se na nossa newsletter e fique por dentro das novidades!