Ataques cibernéticos: entenda o que são e como prevenir o seu escritório contábil!

Ataques cibernéticos: entenda o que são e como prevenir o seu escritório contábil!
4 minutos de leitura

Com o progresso tecnológico de dispositivos eletrônicos e a melhoria das interfaces digitais, a sociedade contemporânea passou a conviver com inúmeras facilidades. Vivemos em um mundo no qual quase tudo (de pagamentos de contas à realização de reuniões) pode ser efetuado pela tela de um computador ou celular conectados à internet. A má notícia é que existem pessoas mal-intencionadas, que se aproveitam da situação para praticar ataques cibernéticos.

Entre as diversas mudanças desencadeadas pela pandemia da Covid-19, parece não haver dúvida quanto à mais profunda: o uso cada vez maior do ambiente virtual. Motivadas pela necessidade de manutenção de suas atividades operacionais, muitas empresas se renderam ao trabalho remoto. A mudança, entretanto, alertou para a importância do home office com segurança.

Você tem um escritório contábil e quer aprender a proteger as suas informações contra invasores espalhados por toda a web? Saiba exatamente o que precisa fazer!

O que são ataques cibernéticos?

Basicamente, todo ataque cibernético é caracterizado pela tentativa (frustrada ou bem-sucedida) de adentrar um dado sistema ou rede e corrompê-los. Além de sofrer danos que paralisam o seu funcionamento regular, o alvo da investida dos cibercriminosos também fica vulnerável.

Uma vez que esteja instaurada a instabilidade sistêmica desejada, o caminho fica livre para praticar o objetivo mais comum desse tipo de ação delituosa. Trata-se do furto de dados sigilosos ou informações confidenciais. Embora o usuário pessoa física apareça entre as vítimas frequentes, pequenas, médias e grandes empresas também tendem a ser almejadas — essencialmente por indivíduos com larga experiência em invasões do tipo.

Como eles acontecem?

A sutileza é o grande trunfo usado pelos hackers que decidem trilhar o mundo do crime digital. Logo, a fonte das dores de cabeça da pessoa que tem seu dispositivo infectado por determinado malware, como vírus, geralmente age de forma silenciosa.

Com base nessa lógica, uma variante ainda bastante utilizada é o phishing, constante em e-mails falsos direcionados, principalmente, a empresas de pequeno e médio porte. Apesar do caráter fraudulento, fato é que essa modalidade de ataque está mais sofisticada. Por meio dela, é possível obter dados de login em aplicativos e sistemas, além de senhas bancárias. 

Parte do aperfeiçoamento da prática deriva do longo estudo da empresa. Pacientes, os cibercriminosos invadem a conta de e-mail da empresa e começam a monitorá-la. Desse modo, eles podem detectar as mensagens mais frequentes recebidas pela organização. A partir daí, conseguem redigir um e-mail falsificado com as características e a aparência de um real encaminhado por um remetente verdadeiro.

Outro modelo de invasão consiste na inclusão de scripts maliciosos em meio aos códigos de arquivos de atualização de softwares, que costuma ser muito eficaz. Talvez o melhor exemplo de ataque hacker dos últimos anos, embasado nessa técnica, venha da Ucrânia.

De acordo com publicação do site Bloomberg, uma desenvolvedora de programas de contabilidade do país disponibilizou uma atualização que continha o ransomware Petya. Foi o bastante para que várias empresas fossem infectadas. O caso também ilustrou a importância de contar com softwares de contabilidade completos e, acima de tudo, totalmente confiáveis e seguros. 

Existem, evidentemente, outros modelos de ataques cibernéticos relevantes e que merecem toda sua atenção, como os que mostramos a seguir.

Backdoor

Em resumo, trata-se do (im)popular Cavalo de Troia, arquivo executável malicioso que normalmente ocupa o lugar do original. Imagine que você acaba de rodar uma instalação que deveria ser a de um programa real, mas é, na verdade, um Cavalo de Troia. Isso significa que todo o sistema do seu computador será controlado pelo script invasor.

Spoofing

Problema extremamente grave, o spoofing é um termo usado para designar ataques hackers dedicados à falsificação de IPs. Por intermédio da tática, é possível estabelecer comunicação com o computador-alvo (da empresa, por exemplo), como se houvesse autorização para isso. Pelo número de IP, o dispositivo intruso é confundido como uma máquina conhecida e confiável.

Eavesdropping

Já o eavesdropping (espionagem, em português) visa a violar a confidencialidade dos usuários. Essa é parte da medida que comentamos durante a realização do phishing. Assim, ela é caracterizada pela ação central de monitorar mensagens de e-mails e de coletar o que o criminoso julgar importante. Contudo, o referido ataque também se estende para outros meios, como os aplicativos de mensagens instantâneas. Tudo o que puder ser útil em um ato ilegal futuro é armazenado.

Como se proteger de ataques cibernéticos atualmente?

Às vezes, nós temos a sensação de que os cibercriminosos sempre estão um passo à frente das soluções criadas pelas empresas especializadas em segurança de dados. No fundo, não é bem assim. Há diversas maneiras inteligentes de manter seu escritório de contabilidade bem distante dessas ameaças cibernéticas. Conheça todas elas!

Instale um software antivírus

Sim, instalar um antivírus potente nas máquinas da empresa é a medida mais básica a ser tomada. Porém, a necessidade costuma ser negligenciada por empresários que se acham inatingíveis.

Antes de qualquer coisa, verifique se há um antivírus em todos os computadores. Ao mesmo tempo, aproveite para verificar qual é o programa de proteção usado, se é uma versão gratuita ou paga, e quais atributos ele oferece. Hoje em dia, a presença de mecanismos que bloqueiam o acesso a páginas inseguras da internet é o mínimo que se espera de um antivírus confiável.

Além de tudo isso, consulte os rankings atualizados de análise dos principais antivírus do mercado. Priorize avaliações conduzidas por especialistas independentes, que alimentam o único propósito de realmente ajudar na busca de ferramentas que ofereçam a proteção procurada. 

Tenha um bom firewall

Antivírus são imprescindíveis, mas eles agem na varredura e identificação de arquivos maliciosos, que tentam disfarçar sua presença em determinada pasta de um sistema, aplicativo ou software. Já o firewall é voltado a impedir que os malwares nem sequer adentrem os dispositivos.

Como o próprio nome diz, sua função é a de impor uma barreira imponente contra movimentos direcionados às portas de entrada dos computadores. Não à toa, o símbolo mais usado para sinalizar um firewall é o escudo, que atua como um superfiltro.

Contrate um VNP

Finalmente, principalmente nos casos de trabalho remoto, disponibilize um VPN para todos os colaboradores. Com ele, cria-se uma rede privada, à qual só terá acesso quem realmente estiver vinculado à empresa e possuir autorização para tal. O VPN, portanto, restringe o operacional do seu negócio a um ambiente menor e seguro, em vez de deixá-lo solto na vastidão da internet.

Razões não faltam para que você invista em segurança digital e, assim, previna sua empresa contra as múltiplas faces dos ataques cibernéticos. Dessa maneira, é possível evitar problemas que podem ir muito além do prejuízo financeiro. Quem trabalha com contabilidade, por exemplo, conhece bem a importância de proteger os dados de todos os seus clientes.

Quer mais dicas atualizadas de segurança de dados para sua empresa? Siga-nos no Facebook e fique por dentro de todas as novidades!

cta-guia-completo-para-digitalizar-o-seu-escritorio-de-contabilidade