O que é clima organizacional e como mantê-lo em alta

O que é clima organizacional e como mantê-lo em alta
5 minutos de leitura

Antes de comandar a gestão de pessoas da sua empresa atual, você deve ter vivenciado experiências diferentes em outras organizações, correto? Se você pensar na rotina mantida em cada uma delas, é bem provável que uma das primeiras lembranças que venham à sua mente estejam relacionadas ao ambiente de trabalho. Isso explica por que é tão importante saber o que é clima organizacional e o que fazer para melhorá-lo.

Afinal, também é praticamente certo que você recorda que o ritmo do desempenho das equipes variava conforme a harmonia ditada por esse fator tão decisivo para o sucesso da sua empresa.

Mas porque o clima organizacional exerce esse peso significativo sobre o presente e o futuro dos negócios? Como torná-lo agradável para seus colaboradores? Confira as respostas dessas e de outras perguntas a seguir! 

O que é clima organizacional e por que ele é tão importante?

Não é raro encontrar diversas organizações por aí que oferecem planos de carreira convidativos e benefícios verdadeiramente exclusivos. Quando esses itens aparecem somados a um salário acima da média registrada no mercado, então, parece que aquela empresa é o local dos sonhos de todo profissional.

Na prática, essa imagem pode ruir em questão de meses (sem exagero), caso a qualidade do ambiente de trabalho não esteja à altura das vantagens mencionadas acima. Assim, a empresa perde tempo e, possivelmente, grandes talentos, o que, por sua vez, consome sua competitividade perante os concorrentes.

A boa notícia, entretanto, é que todo esse cenário ruim pode ser evitado — até mesmo ficar bem longe do seu negócio. Para isso, basta dar a devida atenção ao gerenciamento do clima organizacional, que representa o modo como os funcionários enxergam e sentem o local onde realizam suas funções.

Em outras palavras, esse clima é uma espécie de termômetro. Tal qual o dispositivo que mede o nível de temperaturas, existem formas de monitorá-lo. Desse modo, você fica por dentro de como está a percepção dos profissionais com relação às condições dos espaços usados cotidianamente para gerar valor à empresa.

Por melhor e mais conceituada que uma marca seja no seu ramo de atuação, ela jamais pode negligenciar a medição do clima organizacional. Gestores experientes sabem que a contínua superação de bons resultados está ligada a um conjunto de fatores, a começar pela manutenção de um ambiente de trabalho agradável.

Quais são os diferentes tipos?

Agora, vale a pena conhecer os tipos pelos quais eles são classificados, pois os detalhes o ajudarão a ter uma visão prévia de qual clima é preponderante no seu negócio.

Clima organizacional ruim

No pior nível da escala, o ambiente é quase intragável para os colaboradores. Trata-se daquele caso em que eles encerram o expediente sem querer voltar no dia seguinte. Para piorar, o ar de insatisfação costuma contaminar a atmosfera interna rapidamente.

O resultado se traduz em equipes com membros desconectados entre si e que passam a trabalhar em ritmos bem distintos uns dos outros. Isso, é claro, não só contamina a harmonia interna como, muitas vezes, também prejudica a continuidade de processos iniciados em um departamento e concluídos em outro.

Em um clima organizacional desfavorável, a probabilidade de discussões é alta, assim como o índice de retrabalho, que sobe. Para as pessoas presentes, a sensação é de desconfiança tanto na capacidade de longevidade da empresa quanto na gestão de seus líderes. Por conta desse conjunto, o aumento da taxa de turnover é uma consequência comum. 

Clima organizacional mediano

Em tais circunstâncias, a qualidade do ambiente pende para o insatisfatório. Tampouco se caracteriza pela atmosfera turbulenta descrita há pouco. O grande problema desse meio-termo é a sensível perda de motivação dos colaboradores.

Nesse contexto, o clima beira o automatismo, ou seja, o esforço é calculado é limitado. Isso quer dizer que aquele entusiasmo a mais, indispensável para almejar recordes e, dessa maneira, conduzir a ampliação dos negócios é raridade.

Dada a baixa energia, números surpreendentes aparecem somente após alguns lampejos individuais. Ainda assim, eles dependem de intervenções regulares das lideranças, que precisam reinventar formas de motivar a equipe.

A renovação desse processo motivacional, inclusive, torna-se desgastante em um médio e longo prazo, além de ser uma marca do clima organizacional médio: a baixa ou plena ausência de proatividade dos colaboradores.

Clima organizacional bom

Já quando o ar dentro da empresa é realmente agradável aos sentidos dos funcionários, todo mundo respira melhor e se sente realizado pelo simples fato de trabalhar naquele local. Se fôssemos resumir, bastaria trocar as características negativas dos demais tipos de clima organizacional por pontos positivos.

Iniciativa para buscar novas soluções, incorporação da cultura da marca, ótima comunicação interna e integração entre todos. Embaladas por esses e outros atributos, as pessoas da organização enxergam propósito naquilo que fazem (com prazer) dia após dia. Logo, os gestores passam a contar com equipes engajadas — mesmo em home office.

Com um clima organizacional ideal, os processos fluem em perfeita sinfonia. Mesmo nas ocasiões em que surjam problemas (inevitáveis), a diferença se manifesta no comprometimento da equipe em resolvê-lo de forma espontânea, e não como mera obrigação.

Como medir e melhorar o clima organizacional da sua empresa?

Para proporcionar o melhor ambiente de trabalho, é preciso saber o que os colaboradores têm a dizer sobre ele. Portanto, é necessário elaborar e aplicar a chamada pesquisa de clima organizacional, que tem o objetivo de facilitar o diagnóstico da situação.

O projeto de melhoria contínua do clima fica a cargo da gestão de RH, encarregado de efetuar novas medições em periodicamente. Conforme o porte da empresa, a quantidade de setores e número de funcionários, maior será o desafio.

Agora que você já sabe o que é clima organizacional e como mensurá-lo, saiba que a administração dos dados é essencial para que o processo seja bem-sucedido. Assim, certifique-se de contar com bons analistas e as melhores ferramentas de colaboração à sua disposição.

Nos dias 08 e 09 de novembro das 09 às 13h o evento RH Estratégico vai reunir palestrantes renomados nacionalmente para falar sobre temas importantíssimos como: Liderança, Carreira, Feedback, Segurança Psicológica e muito mais. Clique aqui e inscreva-se!

Confira os últimos posts 👇

  • Endomarketing: o que é e qual a sua importância para o RH?
    5 minutos de leitura Todos nós sabemos o que é o Marketing e o que ele faz, mas com certeza já encontramos a palavra “endomarketing” em livros, redes sociais e em conversas. O marketing, na maioria das vezes, olha […]
  • Gestão de Desempenho: Aderência aos valores e Cultura da organização
    5 minutos de leitura É comum que alguns profissionais de RH e líderes confundirem ou ficarem com dúvidas sobre o termo gestão de desempenho organizacional e avaliação de desempenho. E você, sabe qual é a diferença entre eles? A […]
  • Portaria 671: o que muda para registros de ponto?
    5 minutos de leitura Para profissionais que tratam diretamente com dados e informações trabalhistas, além dos seus envios ao eSocial, não é nenhum segredo que mudanças acontecem rápido e que é preciso estar preparado para adequar-se a elas o […]
  • Feedback: dicas essenciais que todo o líder deve saber
    5 minutos de leitura Qual foi a última vez que você ofereceu um feedback às pessoas do seu time? Liderança e Feedback devem sempre andar lado a lado, isso porque, não existe uma liderança eficaz sem feedback, mas você […]