Gestão e Negócios

Gestão 4.0: o que é e como preparar sua empresa para ela?

Fortes Tecnologia apresenta gestão 4.0
Escrito por Fortes Tecnologia
Atualizado em: 27/01/2020 Tempo estimado de leitura: 6 minutos

Sistemas computacionais baseados no cérebro humano, abrem espaço para robôs contadores e analistas jurídicos (redes neuromórficas); fábricas inteligentes, com ferramentas automatizadas que sabem o torque exato de cada peça na linha de montagem: bem-vindo à transformação digital, a revolução tecnológica que impõe às organizações um novo conceito de gestão, a gestão 4.0.

Mas o que seria gestão 4.0? Em uma era de drones, impressoras 3D, computação em nuvem e aplicações capazes de tomar decisões automaticamente, como coordenar pessoas, processos e recursos interconectados? Como se preparar para o futuro que parece já estar à porta?

Muitas organizações nacionais estão demorando a modernizar sua base tecnológica, subestimando o furacão de inovações e arriscando sua própria sobrevivência no mercado (já que basta um concorrente de vanguarda para devastar o espaço dos rivais obsoletos).

Quem se recorda quando desapareceram as fabricantes de máquinas de escrever para dar lugar aos gigantes dos computadores pessoais? E as empresas de filmes fotográficos, dizimadas pela fotografia digital?

É preciso estar atento às transformações disruptivas para não ser engolido pela engrenagem da evolução. Vamos entender, então, o que é gestão 4.0?

O que nos levou à gestão 4.0?

O conceito de gestão 4.0 nasceu da necessidade de guiar-se pelas expectativas do consumidor, mas tornou-se possível mesmo apenas na era em que quase a totalidade dos dados trafegados pelas empresas passa pelo âmbito digital.

A mobilidade 24h/dia deu ao cliente moderno muito mais informação e possibilidades de tomada de decisão de consumo. Ao mesmo tempo em que tem acesso a fornecedores de todas as partes do mundo, esse consumidor utiliza múltiplos canais simultâneos para suprir suas necessidades. É chamado cliente “omnichannel”.

Mais exigentes e vulneráveis às mudanças de tendências, esse cliente digital tem hábitos multiplataforma e um dinamismo característico que exige sensibilidade aguçada das empresas para, mais do que perceber, antever seus anseios de consumo. E isso tem tudo a ver com gestão 4.0.

Você também vai gostar destes conteúdos 👇
📌 LCI e LCA são bons investimento para sua empresa?
📌 Metodologia Scrum: saiba como usá-la na sua empresa
📌 Como implementar uma cultura colaborativa na sua empresa?

Na prática, o que é gestão 4.0?

A necessidade de ser mais ágil e flexível para inovar no ritmo das demandas do cliente, além de dar mais voz ao consumidor na condução da empresa, é a essência da gestão 4.0, um modelo de gerenciamento empresarial interativo, aberto, criativo e capaz de integrar máquinas, objetos inteligentes e capital intelectual em prol da excelência produtiva.

Essa nova dinâmica de controle impõe uma liderança que atue muito mais como facilitadora e agregadora do que propriamente como um CEO tradicional (liderança 4.0); há o uso massivo de tecnologia para compreensão de processos e desempenho, além de trabalho profundo com mineração de dados para predição de cenários (especialmente os ligados às expectativas do cliente).

A gestão 4.0 capacita colaboradores com ferramentas de machine learning (possibilitando a elaboração de programas personalizados de treinamento); ao mesmo tempo, trabalha com gêmeos digitais no processo produtivo (protótipos baseados em realidade virtual), reduzindo desperdícios e acelerando o desenvolvimento de produtos; por fim, agrega e processa dados autorizados pelo cliente para oferecer a experiência de usuário ideal.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Por que sua empresa deve adotar esse modelo?

A Indústria 4.0 (também chamada “4ª Revolução Industrial”) e sua consequente gestão 4.0 trazem como princípios a virtualização das operações, o controle e as correções em tempo real, a personalização dos produtos/serviços, além da descentralização dos ciclos produtivos. Essas virtudes, por si mesmas, já explicam a razão pela qual essa transformação precisa ser levada a sério nas empresas. Mas há ainda outros desdobramentos:

  • estreitamento do relacionamento com o cliente, com entrega de múltiplas plataformas que tornam a empresa onipresente no mercado;
  • sinalização de modernidade, vanguardismo e profissionalismo junto ao mercado (fortalecimento da marca);
  • automação de processos, enxugando processos, diminuindo custos e liberando talentos para se dedicarem ao core business;
  • desenvolvimento da liderança “carismática-tecnológica”, abordagem de direção que mistura parceria com consciência extrema das potencialidades do material humano (esta última, entregue pela análise de dados em âmbito global).

Como preparar sua empresa para a gestão 4.0?

Não há como falar em gestão 4.0 sem mencionar digitalização de processos. Isso porque uma empresa sem integração de dados e processos automatizados não consegue fazer gestão do conhecimento como se compreende nos dias de hoje (com agregação e processamento de dados — oriundos de múltiplas fontes — para sua posterior transformação em informação gerencial).

Sem o trabalho aprofundado com tecnologia de ponta, sobram papéis e falta coordenação. Uma empresa analógica é repleta de procedimentos confusos, vagarosos e burocráticos, dado que todo seu patrimônio informacional está espalhado por planilhas do Excel e documentos físicos (muitos dos quais são extraviados dentro de poucos meses).

Como os mesmos papéis não estão disponíveis em todos os departamentos, abre-se margem também para ruídos de comunicação, erros e retrabalhos.

Isso sem falar nos incessantes preenchimentos manuais de formulários (como na geração de de boletos e NF-es de modo “analógico”), bem como a necessidade de separação de um colaborador apenas para realizar tarefas administrativas, como pagamentos, baixas e controle de inadimplência.

Agora diga, como uma empresa “orgânica” como essa pode ser capaz de ter gestão 4.0? Como guiar-se pelas demandas do cliente se não há como saber quais os anseios do consumidor?

O primeiro passo para ter gestão de excelência na era dos negócios digitais é, portanto, utilizar a tecnologia em nuvem como instrumento fundamental de direção.

Com a migração de sua infraestrutura de TI para o ambiente em “cloud” e a implementação de um sistema de gestão de alta performance, a empresa provê a todos os funcionários (de todos os setores) o acesso às mesmas informações (eliminando os gaps de comunicação).

Uma solução de gestão empresarial:

  • importa extratos bancários e gera lançamentos de forma automática (injetando velocidade e precisão na conciliação bancária);
  • automatiza cálculo de tributos e processa folha de pagamento em lote;
  • emite relatórios de RH;
  • faz gestão automática de tempo e custo de cada usuário de seus produtos/serviços;
  • facilita o acompanhamento do cumprimento de metas por cada colaborador;
  • dispara alertas automáticos na proximidade de vencimento de passivos e obrigações acessórias;
  • entre outras funcionalidades.

Com todas essas automações e controle de dados, a empresa otimiza suas tarefas, realoca colaboradores com eficiência e monta alicerces para um trabalho aprofundado com Big Data, Internet das Coisas e machine learning, ecossistema tecnológico que é base para a uma gestão 4.0 (focada na visão sistêmica das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que circundam o universo corporativo).

Na era dos negócios digitais, o gestor deixa de ser um mero fiscalizador de tarefas para consolidar-se definitivamente como um verdadeiro “maestro” empresarial, ponto de simbiose imprescindível entre todos os agentes produtivos. 

A propósito, sua empresa está preparada para ter gestão 4.0? Baixe nosso e-Book “Gestão de Negócios: como inovar para competir no jogo empresarial” e não deixe sua organização ser surpreendida por esse tsunami de novas tecnologias!

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar