Índices de liquidez: o que são e qual a importância deles?

Os índices de liquidez são muito importantes para entender a situação de uma empresa e tomar as melhores decisões de forma estratégica.

Índices de liquidez: o que são e qual a importância deles?
4 minutos de leitura

No mundo da contabilidade e da gestão financeira, ouvimos diversos termos que muitas vezes parecem ser difíceis de entender. Um deles são os índices de liquidez, tema principal que resolvi então abordar neste conteúdo.

Quando olhamos um Balanço Financeiro, podemos fazer vários tipos de análises. Dentre uma das mais utilizadas pela abordagem tradicional, está a liquidez da empresa. Mas o que isso quer dizer?

De forma simples, liquidez é a capacidade que a empresa tem de transformar seus ativos em dinheiro, e com isso então, pagar suas obrigações de curto prazo.

O que são índices de liquidez?

Os índices de liquidez não são tão complicados de entender. Em teoria tudo que se precisa fazer é dominar o conceito de porcentagem, por exemplo:

Se a relação entre o exigível total e o ativo total for maior ou igual a 50%, então esta empresa encontra-se endividada, e por aí vai.

Mesmo que esses índices sejam fáceis de calcular, é importante salientar que essa análise tem condição estática, ou seja, só mostra a solvência da empresa naquele momento exato.

Quais os tipos de índices de liquidez?

Os índices de liquidez estão comumente divididos em quatro situações. Portanto, para termos um entendimento mais fácil sobre o assunto, vamos chamar essas situações de tipos.

Dessa forma, podemos dizer aqui, que existem quatro tipos de índices de liquidez. São eles:

  • índices de liquidez geral;
  • liquidez corrente;
  • liquidez seca, e;
  • índices de liquidez imediata.

Vamos ver agora, como cada um deles é calculado!

1. Liquidez Geral

A liquidez geral nada mais é que a soma do ativo circulante somado ao ativo realizável a longo prazo dividido pelo passivo circulante. Em seguida soma o valor com o passivo não circulante para chegar ao resultado final.

A análise mais indicada é que: quanto maior que 1 o resultado for, melhor é.

LG = AC (Ativo Circulante)+ ARLP (Ativo Realizável a Longo Prazo) / PC (Passivo Circulante) + PNC (Passivo Não Circulante)

2. Liquidez Corrente

Já na liquidez corrente, podemos dizer que se trata do quociente resultado do ativo circulante dividido pelo passivo circulante.

Para essa situação, indicam-se que o ideal é: quanto maior que 2 for o resultado, melhor será o resultado da análise.

LC = AC (Ativo Circulante) / PC (Passivo Circulante)

3. Liquidez Seca

Assim como a liquidez corrente, a liquidez seca também é bastante fácil. Pois se trata do quociente vindo dos estoques subtraídos do ativo circulante, que logo em seguida é dividido pelo passivo circulante.

O resultado ideal para essa análise é que: quanto maior que 1 for o resultado, melhor será.

LS = AC (Ativo Circulante) – Estoques / PC (Passivo Circulante)

4. Liquidez Imediata

E para finalizar os quatro tipos de liquidez, mais uma super fácil de calcular. A liquidez imediata é o quociente das disponibilidade dividas pelo passivo circulante.

Para essa análise, não vamos considerar um resultado ideal, mas podemos dizer que quanto maior for, melhor será para a empresa.

LI = Disponibilidades / Passivo Circulantes.

Então posso sempre considerar que os resultados devem ser maior que 1?

De certo modo e de forma superficial, quanto mais superiores a 1, melhor! Mas, claro que isso depende também do segmento empresarial no qual a organização está inserida.

Por exemplo, se meu índice de liquidez geral for igual 1,3, isso quer dizer que para cada R$ 1,00 de obrigações a pagar, a empresa tem R$ 1,30 de ativos para conseguir honrar esses passivos.

Veja que seguindo o raciocínio do exemplo acima, a análise é bem simples e não precisa de maiores aprofundamentos para esse momento. Entendendo este conceito, fica bem mais fácil de compreender casos detalhados vistos em determinadas situações no mercado.

Como saber se a empresa tem indicadores de liquidez inadequada?

Como vimos, essa abordagem mais conservadora, segue determinados padrões e com base neles verifica-se a solvência da empresa e sua capacidade em honrar suas dívidas.

Normalmente fazemos a seguinte leitura: para a liquidez geral e seca, aceita-se índice maior que 1, para liquidez corrente, o melhor é acima de 2, já para liquidez imediata, quanto maior melhor.

Contudo, temos que ter cuidados com esses “padrões” e ficar atentos com algumas situações. Vejamos o seguinte: uma empresa em expansão comprando mais a prazo e recebendo mais à vista, tem seus índices de liquidez subestimados, ou melhor, não estarão de acordo com os padrões, mas isso não necessariamente é um fator ruim.

Outra situação é quando uma uma empresa com estoques altos, incluindo mercadoria defasadas e com muitas duplicatas a receber em atraso, pode apresentar nesse momento, índice de liquidez corrente acima dos padrões, o que denotaria falsamente uma situação financeira muito boa.

Então, perceba que alguns cuidados devem ser tomados. Por isso, é bom não levar a análise apenas ao “pé da letra”. Antes de mais nada, entenda o cenário em que a empresa se encontra.

Como o contador pode ajudar o cliente com esses indicadores?

Como contadores ou consultores, não precisamos abandonar todos os índices que herdamos tradicionalmente. Temos que reconhecer suas limitações e fazer análises mais aprofundadas desses índices, não levando apenas a análise literal destes. É um exercício que requer habilidades e discernimento com números retirados dos demonstrativos contábeis e financeiros, especialmente a demonstração do fluxo de caixa.

Ao fazer análises financeiras, devemos olhar cada vez mais para o fluxo de caixa. Isso inclui informações não contábeis, como as condições do segmento da empresa no mercado e a capacidade da empresa controlar seus recebimentos versus pagamentos.

É fundamental enxergamos além dos números para um diagnóstico eficiente e assim vamos cada vez mais nos tornando contadores consultores.

Espero que tenha gostado deste conteúdo e que agora você tenha um esclarecimento melhor sobre os índices de liquidez.

Até a próxima!

Confira também estes conteúdos 👇

cta-guia-completo-para-digitalizar-o-seu-escritorio-de-contabilidade