Como funciona o PIX? Saiba qual o impacto na contabilidade

É muito importante para o contador saber como funciona o PIX. Afinal, o contador é um dos profissionais responsáveis por orientar o que há de melhor para as empresas.

Como funciona o PIX? Saiba qual o impacto na contabilidade
calendario obrigacoes fiscais
4 minutos de leitura

Desenvolvido pelo Banco Central, o Pix é em um sistema online que tem como objetivo realizar transferências e pagamentos de pessoas físicas e jurídicas em poucos segundos. Com a chegada dessa novidade, tornou-se imprescindível entender como funciona o Pix e de que forma essa tecnologia vai impactar os processos contábeis daqui para a frente.

Quer manter-se atualizado sobre o que muda no dia a dia dos escritórios de contabilidade com as facilidades trazidas por esse método de pagamento? Então está no lugar certo! Continue por aqui e veja também como se preparar para essa nova realidade.

Como funciona o PIX na prática

Ao contrário do TED ou DOC — em que as movimentações financeiras podem levar horas ou, até mesmo, dias, dependendo do horário —, no Pix, o dinheiro sai de uma conta e passa direto para a conta do destinatário em tempo real ou em até 10 segundos.

Além da agilidade, outra vantagem desse novo sistema é que ele está disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana, permitindo realizar transações seguras, sem burocracia ou intermediação de terceiros. De acordo com o Banco Central, essas transações podem ser feitas entre:

  • pessoas;
  • estabelecimentos comerciais;
  • pessoas e estabelecimentos;
  • entes governamentais (em relação a taxas e impostos).

Para usar o Pix, é preciso que o pagador e o recebedor dos valores tenham uma conta em um banco, instituição financeira ou fintech. No caso de pessoas físicas, o Pix é gratuito (exceto em alguns casos, como ao realizar a transação por meio físico e não digital). Já para pessoas jurídicas, pode ser necessário pagar, dependendo da instituição.

Não é preciso criar uma conta para começar a usar o Pix. O acesso é feito por meio da conta já existente do usuário, seja poupança, seja conta corrente. Para isso, basta solicitar o cadastro no banco e criar a chave Pix, que deve estar relacionada às informações bancárias do usuário — como CPF ou CNPJ, número do celular e e-mail. Assim, ao realizar as transações, o banco poderá identificar quem é o pagador ou recebedor de cada operação.

Qual o impacto do Pix no dia a dia na contabilidade

Como contador(a), é importante que você mantenha-se a par de todas as mudanças ao lidar com os números dos clientes, tanto no caso das pessoas físicas quanto jurídicas. Sendo assim, agora que você já sabe como funciona o Pix, vou explicar como esse novo método de pagamento vai impactar a rotina na contabilidade.

Para as pessoas físicas, a chegada do Pix traz uma mudança principalmente em relação aos pagamentos. As transferências e pagamentos que precisam ser feitos por clientes autônomos, por exemplo, tornam-se mais simples. Com isso, o tempo gasto para cumprir as obrigações financeiras diminui, impactando os prazos de maneira positiva.

Já para as pessoas jurídicas, as facilidades trazidas pelo Pix permitem que os pagamentos e transferências de pessoas físicas sejam feitos de maneira mais ágil, reduzindo o tempo de espera da transação. Isso sem contar que também fica mais fácil pagar fornecedores e colaboradores, oferecendo mais segurança para ambos os lados.

maratona online efd reinf


Além disso, esse mecanismo de pagamento leva a uma diminuição das taxas de tributos pagas pelas empresas. Outra mudança nessa nova realidade será um fluxo de receita maior devido à rapidez na compensação dos valores pagos na aquisição dos produtos e serviços.

Como se preparar para as mudanças trazidas pelo Pix

Como vimos até agora, a chegada do Pix veio para trazer mudanças significativas no cotidiano dos escritórios contábeis. Por esse motivo, torna-se imprescindível preparar-se para lidar com as mudanças causadas por esse sistema.

Afinal, os profissionais da contabilidade devem ser constantemente atualizados sobre as novas soluções para aconselhar e orientar os clientes. Tal atitude é fundamental para que todos se sintam seguros em relação ao profissional que cuida de suas finanças. Entendendo isso, veja a seguir algumas dicas importantes sobre como se preparar.

Escriturar cada transação realizada

Para começar, cada transação que constar no extrato bancário deve ser escriturada. Assim como acontece com as transferências bancárias e recebimentos, o cliente deverá explicar ao profissional contábil as movimentações que foram realizadas por meio do Pix e ao que se refere cada valor lançado no extrato.

Ficar atento às medidas de segurança

Assim como acontece nas demais transações, as informações relacionadas ao Pix ficam protegidas pelo sigilo bancário. Apesar disso, golpistas podem fazer o envio de e-mails, mensagens de celular ou softwares maliciosos como estratégia para que os usuários entreguem suas senhas sem ter o conhecimento do que estão fazendo. Por esse motivo, é fundamental que o cliente realize o cadastro das chaves Pix.

Apesar de não ser obrigatório fazer o cadastramento das chaves Pix, esse procedimento é aconselhável, já que, assim, as operações de transferências podem ser identificadas pelo banco. Além disso, é exigida participação da pessoa física ou jurídica no recebimento de transferências realizadas via Pix. Com o cadastro das chaves, não haverá a necessidade de intermediários e o dinheiro de uma compra vai cair diretamente no caixa da empresa.

Contar com o auxílio da tecnologia

Outra importante maneira de se adequar às mudanças trazidas pelo Pix é contar com um software contábil para melhorar a gestão de recursos. Com essa ferramenta, será possível, por exemplo, registrar as origens e destinos de cada Pix realizado, mudando para melhor a maneira de lidar com os relatórios dos extratos bancários dos clientes.

Com o uso de um software especializado em contabilidade, você terá as informações armazenadas de maneira mais segura e precisa. Isso sem contar que os clientes podem ter uma melhor compreensão dos dados referentes aos balanços e demonstração de resultados.

Como você pôde entender ao longo deste artigo, saber como funciona o Pix é uma questão de adaptar-se e manter-se vivo no universo contábil. Sendo assim, tanto empresas quanto trabalhadores autônomos devem estar sempre preparados para lidar com essa e outras mudanças que a tecnologia poderá trazer no futuro.

Gostou da leitura? Se este artigo foi útil para você, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais. Assim, outras pessoas também poderão se informar sobre esse importante assunto.

Confira também os nossos últimos conteúdos 👇