Contadores e a SST: Como dizer não para o cliente?

Contadores e a SST: Como dizer não para o cliente?
4 minutos de leitura

Sabemos que muitas vezes é difícil negar algo para o cliente, seja por causa de uma determinada proposta de trabalho, seja por uma demanda que não está no escopo de serviços acordados. Tornando assim necessário, fazer uma avaliação sobre a solicitação do cliente. E diante disso, o contador pode se perguntar: como dizer não para o cliente?

Recentemente, nos deparamos com uma fase importante para os os negócios e as empresas, especificamente na Gestão trabalhista, onde a área de SST – Saúde e Segurança do trabalho – iniciou uma nova forma de gerenciamento das informações. 

De acordo com o cronograma do eSocial – Sistema Público de Escrituração Digital – as empresas enquadradas no Grupo 1 (Faturamento superior a 78 milhões em 2016) iniciam o envio de dados da 4ª Fase (SST) pela competência do mês de Outubro de 2021.

Esse novo cenário gerou um grande debate entre a classe contábil, pois sabe-se que é comum os clientes direcionarem trabalhos relacionados ao eSocial, diretamente para os contadores. Isso pode ser um problema a partir do momento que o contador não é o profissional imediatamente responsável pela SST de um modo geral.

Independentemente da decisão do contador em receber essa nova demanda por parte do cliente ou não, eu preparei este conteúdo para ajudar aqueles que decidiram dizer não aos seus clientes. Optando assim por ajudar com indicações de profissionais especializados e orientações que estão ao seu alcance.

Se você quer entender mais sobre esse cenário envolvendo contadores e a SST, indico dois conteúdos que a Fortes Tecnologia preparou para os profissionais contábeis. Confira nos links abaixo!

Por que é importante o contador também dizer não para o cliente?

É fundamental que em toda relação entre cliente e escritório contábil, estejam muito bem definidas as responsabilidades de ambos. E se tratando da área de Saúde e Segurança do Trabalho, sabemos que a recomendação geral é de que o escritório não assuma esse papel, mesmo as empresas terceirizando o setor de Departamento Pessoal. Pois dessa forma, cabe ao cliente assumir esse papel e não o contador, embora observarmos uma crescente busca de capacitações e treinamentos sobre SST para escritórios contábeis.

Nessas horas é fundamental saber dizer não sem afetar a relação como um todo, como também não assumir um papel que não seja de responsabilidade do escritório de contabilidade.

O primeiro passo para conduzirmos esse cenário é trabalharmos a conscientização. Embora a área de SST e as suas normas sejam exigidas há bastante tempo, poucas empresas compreendem ao certo a sua completa aplicabilidade. Por isso, a importância de serem definidas diretrizes juntamente ao cliente, com o objetivo de alinhar claramente os papéis e as responsabilidades diante deste novo cenário. 

Afinal, assumir esse papel é dar espaço para assumirmos um papel que não é nosso. Concorda?

Por que o contador precisa ser cauteloso em relação à SST?

Antes de mais nada, chega o momento do profissional contábil assumir de forma protagonista e definir os próximos passos deste novo cenário, para isto, a comunicação e o relacionamento com o cliente devem ser prioridade.

Neste momento, as empresas precisam cumprir com todos os programas estabelecidos pela SST. Por outro lado, os escritórios contábeis precisam estar atentos a isso. Pois, assumir a SST dos clientes pode ser um risco porque se trata de um setor extremamente técnico e específico. Dessa forma, os profissionais contábeis não devem fazer por conta própria, a não ser que tenha formação técnica na área.

São diversas informações gerenciadas e que impactam fortemente na relação de trabalho. Por esse motivo, é sugerido direcionar esse tipo de responsabilidade para os profissionais vinculados a este segmento (técnicos de segurança do trabalho, engenheiros do trabalho, médicos ou fisioterapeutas do trabalho, entre outros conforme determinada a lei) que irão conduzir a partir das suas especificidades.

Como dizer não ao cliente sem chateá-lo?

O primeiro passo é estabelecer o diálogo!

Todo novo projeto ou rotina precisa ter ações planejadas, mapeadas e direcionadas de acordo com os responsáveis e os prazos. 

Agendar uma reunião; apresentar ao cliente este universo; deixá-lo ciente das suas responsabilidades; sugerir possíveis empresas ou clínicas parceiras; são algumas das ações que você pode tomar.

Importante reforçar que ações como essas não anulam a responsabilidade do contador em outras questões da área, mas fortalecem no sentido de alinhar expectativas e direcionar responsabilidades para o público certo.

Quais os benefícios para o contador que reconhece os seus limites?

Reconhecer limites e assumir papéis que realmente são nossos, é obter clareza sobre as nossas responsabilidades e dedicar tempo e atenção para aquilo que realmente importa. No caso dos escritórios contábeis são os aspectos fiscais, contábeis e trabalhistas, dentre outros.

Buscar conhecimento e aprendizado na área de Saúde e Segurança do Trabalho de forma geral é extremamente positivo. Pois, conhecer a legislação, rotinas, participar de eventos e ter acesso às particularidades, pode tornar o seu trabalho ainda mais diferenciado e completo. Com isso é possível agregar mais valor à sua entrega.

Porém, é importante estar ciente de que muitas dessas rotinas devem ser realizadas pelo próprio cliente, não cabendo ao escritório contábil se responsabilizar pelos processos de SST como bem reforça o Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Para concluir, é totalmente possível avançarmos em mais uma fase da Gestão do Trabalho sem contratempos, desde que tenhamos a clareza dos nossos papéis e responsabilidades, utilizando uma boa estratégia de relacionamento e direcionamento. 

Espero que este conteúdo tenha lhe ajudado. Bons estudos e mão na massa!

Últimos posts 👇

banner-artigo-ebook-sst-para-contadores-jpge