Gestão de transporte

Taxas adicionais: você considera na composição de peso do seu frete?

Planejamento-financeiro-como-fazer-em-passos-simples-e-praticos
Escrito por Fortes Tecnologia
Atualizado em: 09/01/2019 Tempo estimado de leitura: 2 minutos

As taxas adicionais vêm ganhando maior importância, especialmente devido à concorrência do setor e seu impacto direto no valor do serviço. Para conhecer um pouco mais sobre essas taxas e suas implicações no custo operacional, continue acompanhando nosso post!

No transporte de cargas, o valor do frete é calculado exclusivamente pelas leis de mercado. Isso significa que não existe nenhuma legislação específica que regulamente os valores do frete, motivo o qual, ele acaba sendo o principal fator de competitividade no setor.

O valor do frete é composto pelo frete peso, frete valor, despesas administrativas e de terminais de transporte, lucros e impostos. Além do valor do frete, o transportador deve considerar as taxas adicionais, que são cobradas adicionalmente ao frete original e tendem a cobrir custos específicos ou situações que implicam no prejuízo dentro da atividade.

Taxa de Dificuldade na Entrega – TDE

Trata-se de uma taxa cobrada de clientes que não promovem a eficiência no recebimento da mercadoria. A aplicação dessa taxa visa ressarcir a transportadora pelos custos causados pela dificuldade ou mesmo pela recusa na entrega de mercadorias. Em geral, é uma taxa cobrada quando:

  1. Existe recusa da mão de obra da transportadora;
  2. O cliente recebe por ordem de chegada independentemente da quantidade;
  3. Exigência de separação dos itens para recebimento;
  4. Exigência de tripulação superior ao do veículo para carga e descarga;
  5. Disposições contratais que agravam o custo operacional da transportadora;
  6. Recebimento precário que gere longas filas.
  7. Em geral, essa taxa é calculada a partir de um percentual adicionado ao valor do frete.

Taxa de despacho

A taxa de despacho serve para remunerar os custos envolvidos nas etapas de coleta e entrega do transporte de cargas fracionadas, tais como o custo de deslocamento dos veículos, custos administrativos e lucro operacional. Os casos de urgência e horários especiais para a entrega também podem ser incluídos nessa taxa.

Em regra, ela deveria estar embutida nas despesas administrativas, uma vez que não se trata de uma característica ocasional para diferentes tipos de carga. Porém, algumas transportadoras optam por cobrar separadamente, para que o custo seja melhor especificado.

Taxa de restrição de trânsito

Trata-se de uma taxa que tem por objetivo ressarcir os custos adicionais de coletas e entregas feitas em municípios que adotem medidas restritivas para a circulação de caminhões, como é o caso de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, por exemplo. Essa taxa também é cobrada por meio de um valor fixo ou percentual adicionado ao valor do frete para cargas que tenham como origem ou destino essas localidades.

Essas são algumas das principais taxas utilizadas no mercado, porém existem ainda outras criadas pelas transportadoras. Para fazer uma boa gestão e precificação das taxas, o ideal é calcular o valor de cada situação que implica prejuízos reais à transportadora, para que o preço não fique muito elevado, prejudicando, assim, a concorrência no mercado.

Você já conhecia todas as taxas envolvem a atividade de transporte de cargas? Deixe seus comentários abaixo e compartilhe sua experiência conosco!

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar