Gestão e Negócios

Planejamento estratégico: 3 dicas de como pôr em prática

Fortes Tecnologia a imagem apresenta planejamento estratégico
Escrito por Ivanise Magalhaes
Atualizado em: 10/05/2019 Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Para executar o planejamentos estratégico, existem muitas ferramentas e uma infinidade de passo a passo. O planejamento estratégico é o momento de repensar como serão atingidas as metas para se alcançar os resultados de um modo geral. O objetivo é “traçar um plano”.

Entretanto é muito comum a execução deste plano ficar a desejar no decorrer do ano, comprometendo todo o trabalho e o que é pior, o resultado da empresa.

Metas e planejamento estratégico

Vamos falar um pouco sobre o que é necessário para não perder o “time”, e, conseguir colocar em prática todas as metas traçadas para conquistar os objetivos do planejamento estratégico. Primeiro, as metas globais da empresa, depois partindo para as metas das áreas, departamentos e unidades de negócio.

Administradores e gestores das empresas devem ter em mente algumas dicas e metodologias que ajudam na execução do que foi proposto no planejamento estratégico.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

1) O que não se mede não se acompanha

Com uma das frases mais populares nas áreas de gestão e administração, podemos ver que os indicadores devem seguir uma cadência no tocante ao acompanhamento das metas.

Então se você tem uma meta e não sabe claramente como acompanhá-la, para ter a certeza de que está próximo ou mesmo muito longe de conseguir, está mais do que na hora de acompanhar os indicadores em reuniões setoriais e o resultado destas em reuniões gerenciais.

Durante as reuniões, dê preferência a visualização de forma objetiva como um painel, onde os faróis e as cores indicam se a meta está dentro ou fora do esperado.

Planejamento estratégico: 3 dicas de como pôr em prática 1

2) Aplique a metodologia Fato, Causa, Ação (FCA)

Para execução das metas e avaliação do que está fora do esperado, torna- se imprescindível aplicar o conceito de FCA.

Trata-se de uma metodologia para resolução de problemas que trabalha com três pilares: Fato, Causa, Ação (Metodologia FCA). Conhecida também como a técnica dos 5 porquês, é ela que irá ajudá-lo a saber exatamente o que está ocorrendo com seus indicadores e assim direcionar de forma assertiva a equipe de operação.

Analise bem as causas

Naturalmente, muitas causas são identificadas para um mesmo fato, inclusive há o risco de nem todas serem verdadeiras. Por isso, a lista de razões para existência de um problema deve ser submetida a um experimento mental de eliminação: supõe-se que aquela causa descrita não existe mais e verifica-se quanto à permanência do problema.

Vejamos um exemplo bem comum: se a falta de tempo foi atribuída como causa para a não execução de uma tarefa, o gerente precisa elaborar uma pergunta simples. Ele precisa se perguntar – com mais tempo disponível, a tarefa realmente seria entregue?

Se a resposta a essa pergunta for negativa, provavelmente algo mais contribuiu para a ineficiência alegada. Pode ser que o profissional simplesmente não tenha a qualificação necessária e, portanto, não cumpriria o prometido nem mesmo com todo tempo do mundo.

Alguns exemplos de perguntas

Poderíamos, portanto elaborar as outras indagações, que caberiam em outros contextos:

  • Por que a participação de mercado do produto XYZ está abaixo da expectativa?
  • Por que a filial Rio de Janeiro não alcançou a meta?
  • Por que a regional Sudeste não conseguiu atingir a meta do produto XYZ?
  • Por que não houve estoque suficiente do produto na filial?
  • Por que não foi solicitado ressuprimento?
  • Por que ninguém percebeu que o ressuprimento não foi acionado?

De acordo com a metodologia FCA, passamos agora para a identificar alternativas de ação que seja fundamentais para mitigar o problema (fato).

A ação precisa ser analisada de acordo com dois aspectos principais:

  • Se é uma ação que eliminará de vez a causa da anormalidade (causa raiz) ou se;
  • Apenas corrigirá o efeito imediato (antibiótico).

Tipos de solução

Antes de buscar uma conduta que solucione o problema, é preciso entender muito bem o que se entende por “solução”, para que seja possível identificar as ações como certas ou erradas.

Eliminar de vez a causa raiz

As soluções desse tipo são adequadas às situações em que o problema e suas causas são atuais, de modo que a extinção daquele exige a remoção desta. É como um antibiótico, que mata as bactérias e, assim, restaura a saúde do corpo.

Um exemplo prático é a falta de treinamento da equipe de vendas. Causa que influencia permanentemente, nas taxas de sucesso ou conversão do setor e cuja remoção (capacitação adequada) leva à extinção do problema.

Redução dos efeitos

Uma grave crise econômica no país ou a queda generalizada dos preços em um setor, por exemplo, é uma causa em que a remoção não está ao alcance da empresa. Logo, nem sempre é possível chegar ao foco do incêndio.

Em tais casos, a conduta escolhida pelo gestor tentará diminuir ou eliminar os efeitos, como buscar por inovações no produto, redução de custos, ferramentas de marketing e etc.

Ações que solucionam o problema

O primeiro passo para encontrar soluções é a reunião das informações disponíveis até o momento, além da identificação do tipo de solução necessária a qual será tomada como finalidade ou objetivo da ação, por exemplo, agir para remover as causas, agir para reduzir os efeitos e etc.

Esses dados devem ser apresentados à equipe, de modo que seja possível o compartilhamento de ideias e a obtenção de sugestões.

Definida a ação ou ações adequadas, é hora de priorizar as mesmas, estabelecendo quem se responsabilizará pelo cumprimento de cada uma delas. Tudo isso é registrado no documento de FCA e cobrado pelos gestores às pessoas responsáveis.

3) Correlacione os resultados dos indicadores aos desempenhos das equipes.

Não é incomum grande empresas atrelarem os resultados dos colaboradores as metas que eles buscam dentro de suas equipes.

Com isso, entendendo que seja um incentivo muito forte, pode-se pensar inclusive em bonificar resultados que alcancem ou ultrapassem as metas propostas.

As pessoas, geralmente se veem ligadas de uma forma mais palpável aos resultados, uma vez que além da satisfação de exercer um bom trabalho, ao ultrapassar as expectativas também ganhariam um bônus.

Gostou da abordagem de como colocar em prática o planejamento estratégico? Como ocorre na sua empresa? Conta pra gente nos comentários e aproveite para ler agora este artigo que fala de missão, visão e valores nas organizações.

fortes-tecnologia-rock-content-marketing-digitalPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Ivanise Magalhaes

Coordenadora de Relacionamento da Fortes Tecnologia.
Contadora, Especialista em Administração Estratégica. Experiência de 15 anos na área contábil, gestão patrimonial e de tecnologia da informação.

Deixar comentário.

Compartilhar