Gestão contábil

Você sabe o que é a contabilidade ambiental?

Fortes Tecnologia apresenta contabilidade ambiental
Escrito por Fortes Tecnologia
Atualizado em: 12/08/2019 Tempo estimado de leitura: 7 minutos

Qual a atuação de sua empresa na área da contabilidade ambiental? Ao longo do tempo, temos vivido uma crescente escassez de recursos naturais e degradação do meio ambiente. Essa conjectura desdobrou-se em diversos debates econômicos, políticos e sociais sobre quais medidas são necessárias – até fundamentais – para conseguirmos reverter este cenário preocupante. Por isso neste artigo vamos falar sobre o que é e a importância da contabilidade ambiental.

Entretanto, não basta às organizações apenas designarem funcionários para participar de discussões filosóficas inócuas em congressos ambientais. Tampouco implementar ações isoladas e artificiais apenas para agradar ao mercado.

É necessário refletir seriamente sobre como integrar meio ambiente e produção, bem como mensurar, do ponto de vista contábil, seu grau de responsabilidade socioambiental ao longo dos anos, a fim de que investidores, clientes e demais stakeholders aprendam a diferenciar sua companhia de outras, alheias à relação íntima entre produção de bens/serviços e uso dos recursos naturais.

Neste artigo, vamos falar um pouco sobre o que é contabilidade ambiental e, evidentemente, como você pode utilizar essas informações a favor da reputação de sua marca e do patrimônio de sua empresa. Confira!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Qual a relação íntima entre meio ambiente e faturamento?

Um levantamento feito há alguns anos pela consultoria Nielsen revelou que o engajamento com o meio ambiente tem o poder de influenciar as decisões de compra de 45% dos consumidores brasileiros. Outro estudo, dessa vez divulgado pela Opinion Box, mostrou que 54% dos entrevistados disseram dar preferência a marcas conhecidas por atuarem em nome da preservação da natureza.

Inevitavelmente, a produção de bens e serviços exige a transformação de matéria-prima para fabricação de produtos e serviços de interesse do consumidor. Entretanto, a maneira com a qual as organizações conciliam seus processos produtivos com o uso dos recursos se tornou centro das atenções dos cidadãos no mundo todo, ante os alertas constantes de governos, ONGs e ativistas sobre as mudanças climáticas no planeta.

Com essa maior conscientização popular, o enfoque da preservação ambiental deslocou os temas socioambientais do marketing da empresa para o cerne da gestão corporativa. Hoje, quem não enxerga o manejo sustentável como estratégia de negócio enfrenta dificuldades para se posicionar no mercado. E é aqui que entra a contabilidade ambiental.

O que é contabilidade ambiental?

A contabilidade, enquanto instrumento de medição das mutações patrimoniais corporativas, passou a posicionar-se como um dos principais agentes de comunicação ao mercado sobre os riscos e benefícios ambientais da atividade econômica da empresa, traduzindo iniciativas subjetivas de preservação à natureza em ações mensuráveis de afirmação das condutas administrativas e operacionais do negócio.

A contabilidade ambiental é, assim, o estudo do patrimônio ambiental das organizações (bens, direitos e obrigações ambientais). Ela trata da identificação, mensuração e evidenciação de investimentos de bens ligados à proteção ambiental, ações de proteção contra danos ecológicos, deslocamento financeiro para iniciativas de correções de efeitos ambientais, obrigações contraídas em defesa do ecossistema, entre outros ativos/passivos ligados à ecologia.

Nesse sentido, a gestão ambiental não deve ser vista como custo, mas sim como investimento na reputação da marca, além de uma incrível oportunidade de exercer sua responsabilidade social perante o mercado e transformar o ciclo de vida dos produtos – e do lucro – em algo sustentável não somente no curto prazo, mas no médio e longo também.

Qual o objetivo da contabilidade ambiental?

O objetivo básico da contabilidade é trazer informações e mensurar resultados. A contabilidade ambiental, portanto, tem o objetivo de fornecer informações e matematizar resultados em relação à sua atuação junto ao meio ambiente e seus recursos naturais.

Esses resultados são custos e investimentos ambientais – internos e externos – como despesas com proteção de patrimônio ambiental, padronizações de prevenção, redução e controle de aspectos ambientais, assim com toda a documentação referente a impactos e riscos, descarte, saneamento, descontaminação e degradações.

Segundo reportagem do O Globo, empresas como Coca-Cola e Natura já apresentaram, além do relatório de contabilidade tradicionalmente exposto ao mercado, uma versão gráfica extra que informa, por exemplo, a quantidade de água utilizada, de matéria-prima explorada e de lixo produzido.

Esses dados podem ajudar na tomada de decisões e na elaboração de políticas ambientais, além de evitar que a companhia seja multada ou enfrente problemas de violação à legislação.

Quais as vantagens da contabilidade ambiental?

Tendo esses conceitos e objetivos em mente, podemos destacar as seguintes vantagens da contabilidade ambiental:

  • mensuração adequada dos custos e benefícios baseados na identificação e alocação correta dos custos ambientais;

  • aferição econômica das reduções de gastos relacionados à água, energia e outros recursos renováveis e não renováveis;

  • relatórios e demonstrativos da eficácia e viabilidade de ações ambientais;

  • transparência referente ao balanço ambiental da gestão;

  • melhoria da imagem da empresa perante ao público devido seus esforços em sustentabilidade;

  • redução da agressão à natureza, pois os dados contábeis possibilitam a correção de ações ambientais e elaboração de produtos e serviços sustentáveis;

  • ações específicas de marketing para atrair clientes que se identifiquem com o tema de sustentabilidade e preservação da natureza;

  • mensuração de ações empregadas para tentar tornar a empresa mais verde.

Como aplicar a contabilidade ambiental nas empresas?

Na prática, se você quer tornar sua empresa respeitada no mercado pelo seu grau de responsabilidade socioambiental, embora não exista uma receita padrão, há um passo a passo que, com alguma variação, tem sido seguido por todas as companhias que buscam essa adequação de suas práticas sustentáveis aos seus balanços contábeis:

Criar uma mentalidade de desenvolvimento sustentável

Talvez sua empresa pouco faça a título de atuação ecológica. Se este é o caso, não adianta falar em contabilidade ambiental se não há ativos para contabilizar, concorda?

Nessa situação, é preciso elaborar antes, um plano de ação ambiental que envolva mudança de processos, troca de equipamentos e ações ecológicas com participação dos funcionários, apenas para citar alguns exemplos. Primeiramente você precisa mudar a mentalidade de sua empresa e, só então, levar todo esse esforço para ser demonstrado por meio da contabilidade.

Diagnosticar todos os custos envolvidos

A maioria das empresas tem uma dificuldade imensa em calcular seus custos ambientais. Um passo fundamental, portanto, é levantar todas as ações produtivas que, de uma forma ou de outra, impactam o meio ambiente, bem como todos os investimentos e parcerias que resultam em desenvolvimento sustentável.

Levar todos os dados coletados aos balanços contábeis

Outro desafio comum das corporações é escriturar todo esse movimento. O que é ambiental e o que não é? Vamos lá mencionar alguns exemplos:

Ativo

Na conta “disponibilidade”, por exemplo, você deverá inserir todos os valores recebidos de alguma receita ambiental (como um eventual ressarcimento do governo pela preservação de determinada área). Na conta “investimentos”, é possível registrar participações societárias em empresas voltadas à preservação ecológica.

Já o ativo imobilizado da contabilidade ambiental pode abrigar a escrituração de bens adquiridos com a finalidade de reduzir impactos ao meio ambiente, como equipamentos de energia solar, tecnologias de tratamento de efluentes, máquinas de reuso de água etc.

Passivo

Aqui entram prejuízos decorrentes de indenizações ambientais, multas por descumprimento de legislação, obrigações contraídas por força de empréstimos para adquirir equipamentos com repercussão ambiental etc.

Trabalhar para a implantação da norma ISO 14.001

A ISO 14.001 é aplicável a empresas de qualquer porte e segmento, e tem o objetivo de adequar processos, recursos e pessoas a práticas ambientais consideradas de excelência no mundo todo.

Essa norma trabalha com a mitigação de potenciais adversos ao meio ambiente, prevenção de desastres ecológicos, aumento do desempenho ambiental e comunicação das práticas adotadas aos interessados, internos e externos. Ter um selo ISO 14.001 chancela a seriedade de sua corporação com o desenvolvimento sustentável, facilitando aportes de capitais e elevação da credibilidade de sua marca no mercado.

Promover uma cultura de transparência quanto aos danos provocados pela sua atividade ao ecossistema

Não adianta maquiar informações, criar ativos fictícios ou mitigar possíveis estragos que sua atividade esteja causando à natureza. Potenciais investidores e clientes estão atentos à honestidade de sua empresa quanto aos efeitos de seus processos produtivos no equilíbrio ambiental.

Nesse caso, o melhor a fazer é divulgar as informações reais com transparência, bem como as medidas corretivas que deslocaram sua organização para uma matriz produtiva verdadeiramente sustentável e comprometida não apenas com o lucro, mas com aspectos ligados à preservação.

A propósito, que passos sua empresa tem dado na direção de uma contabilidade ambiental? Como acredita que essa mudança impactaria sua organização? Deixe abaixo seu comentário!

Fortes tecnologia consultor contadorPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar