Gestão de transporte Gestão financeira

Descubra como fazer a gestão de custos logísticos de forma eficiente

Fortes tecnologia apresenta gestão de custos logísticos
Escrito por Fortes Tecnologia
Publicado em: 20/08/2019 Tempo estimado de leitura: 6 minutos

O setor logístico de uma organização envolve uma parte bastante relevante dos seus custos. Isso gera a necessidade dos administradores de estudar a gestão de custos logísticos para exercê-la de forma mais vantajosa, aumentando o faturamento, a produtividade e a competitividade da empresa.

Se você quer saber o que exatamente é a gestão de custos logísticos, qual a sua finalidade e quais são os passos mais importantes para deixá-la eficiente, confira a leitura deste post. Com as informações deste artigo, você saberá como tornar essa gestão mais vantajosa para sua empresa!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que é gestão de custos logísticos e qual a sua finalidade?

Os custos logísticos são todos os gastos relacionados à movimentação de mercadorias e insumos dentro de um negócio, como a armazenagem e transporte produto e bens. A gestão desses processos envolve desde a negociação da matéria-prima até suas entrega ao destinatário final.

Investir na gestão de custos logísticos é excepcionalmente importante para o futuro do seu negócio, pois quando ela é feita de forma eficiente permitira que sua empresa:

  • entenda melhor os custos do negócio: identificação dos maiores gastos para que você possa reduzi-los;

  • modifique o que não está sendo vantajoso: visualização dos pontos de melhorias nos processos logísticos;

  • melhore a produtividade: identificação de gargalos logísticos;

  • aprimore a tomada de decisão: avaliação do desempenho do setor e possibilidade de alinhá-lo aos objetivos do negócio.

Como fazer uma gestão de custos logísticos eficientes na transportadora?

O gestor responsável deverá criar um plano de ação com a finalidade de aumentar o controle dessa gestão, assim ele poderá controlar os processos, identificar custos e direcionar investimentos. Veja como fazê-lo nos tópicos abaixo.

Saiba quais são os custos logísticos

O primeiro passo é conhecer a fundo todos os gastos que envolvam o setor, assim você saberá quais contas deve controlar. Os principais são:

  • estoque e armazenagem: engloba o custo de produto (preço de compra), de falta de produto (perdidos, danificados ou quebrados) e manutenção (inventário, aluguel, impostos etc.);

  • embalagem: consistem no empacotamento dos produtos;

  • transportes e fretes: incluem custos e despesas com aquisição de veículos, manutenção, ociosidade, combustíveis etc.;

  • logística tributária: são os impostos incidentes sobre a logística, como IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, ICMS etc.;

  • tecnologia: são as licenças dos softwares de gestão usados para garantir mais economia, agilidade e segurança nos processos logísticos;

  • operações de distribuição: consistem os custos fixos (aluguel e taxas do espaço, salários, impostos etc.) e variáveis (seguros, combustível, mão de obra etc.);

  • custo humano: são os salários dos gestores de frotas, controllers e outros colaboradores da equipe logística.

Conheça metodologias de custeio

As metodologias de custeio consistem na forma como a empresa determina o preço de venda dos serviços. Resumidamente, existem três métodos de custeio:

  • padrão: indica o custo ideal que deve servir de base para controle, conhecimento de variações e análises da eficiência produtiva;

  • por absorção: trata das apropriações dos custos fixos, variáveis, diretos e indiretos gerados com o uso de recursos voltados à prestação dos serviços;

  • variável: o custo final é a soma de cursos variáveis dividido pela produção; os custos fixos são considerados no resultado do exercício.

Também é possível aplicar a metodologia ABC (Custo Baseado em Atividade), que identifica, analisa e separa os custos dos processos de uma empresa. Ela traz uma visão ampla do direcionamento dos recursos, identifica e elimina atividades desnecessários, além de permitir calcular o custo de cada cliente, fornecedor e produto.

Mapeie os processos

O mapeamento de processos consiste em estudar as operações logísticas, definir os processos e padronizá-los com o objetivo de aumentar sua eficiência, evitar gargalos e restrições. Quando você entende melhor o fluxo de atividades, o gestor desenham o layout de produção e toma as medidas para encurtar tarefas e otimizar o uso de recursos.

Sem essa etapa, cada colaborador agirá da maneira que ele acredita ser mais vantajosa, mas sem um método embasado e padronizado surgirão muitas falhas e desperdícios. é importante que o planejamento seja revisado periodicamente em busca de constantes melhorias.

Use indicadores de desempenho

Há vários indicadores-chave de desempenho (KPI) que podem ser aplicados na gestão de custos logísticos. Tratam-se de métricas aplicadas por um sistema de gestão com a finalidade de medir os resultados dos negócios.

Ao aplicá-las, você saberá em qual fase logística suas decisões estão surtindo efeitos, bem como se eles negativos ou positivos. Alguns exemplos de KPIs logísticos são:

  • giro de estoque: relaciona a produção, saldo de produtos em estoque, consumos e eventuais desperdícios;

  • lead time: é o prazo do pedido do cliente até a entrega do bem em sua residência;

  • taxa de vulnerabilidade do controle físico: demonstra possíveis ocorrências de roubos, perdas, quebras etc.;

  • on-time, in full (OTIF): trata da eficiência no cumprimento de prazos na circulação de bens;

  • on-time delivery (OTD): evidencia a porcentagem de pedidos entregues no prazo;

  • order fill rate (OFR): indica o tempo de processamento entre a seleção do produto no estoque, sua embalagem e o despacho.

  • taxa de avarias: é o percentual de perdas de produtos no percurso da entrega.

Negocie com fornecedores

Você também pode reduzir os custos ao fechar melhores negócios com seus fornecedores. Quando você mantém uma relação mais segura e transparente com eles, pode negociar as formas de pagamento, os prazos e até os preços.

Além disso, diversifique a quantidade de fornecedores para que seu negócio não dependa exclusivamente de apenas um deles. Assim seus processos não sofrerão com paralisação caso ocorra algum problema com um deles.

Obtenha ferramentas tecnológicas de controle

Há ferramentas tecnológicas que aperfeiçoam sua gestão logística de diferentes formas. Uma boa plataforma como a Fortes Compras e Estoque automatiza diversas tarefas burocráticas, faz o acompanhamento de entradas e saídas, gera relatórios de gestão que são atualizados automaticamente e muito mais. Alguns exemplos de funcionalidades úteis ao seu negócio são:

  • painel de negociação com fornecedores: traz em uma única tela todas as cotações, compras, conceito de cada fornecedor e mais;

  • emissão e importação de notas fiscais: o programa realiza ambas operações de forma automática;

  • planejamento financeiro e físico: esses planejamentos são feitos automaticamente pelo software, sendo que você será alertado sobre eventuais desalinhamentos;

  • controle de custos: administre em um só local o orçamento financeiro e físico dos produtos;

  • centro de atividades: é multicentro de estoque e resultados que fornece total controle de lotes, validades, inventário etc.;

  • análise de dados: fornece curvas ABC de entradas e saídas, o monitoramento de itens, a avaliação e análise de cada fornecedor, evidencia de inconsistências e mais;

  • entre outras funções.

Com as dicas aqui explicadas você conseguirá elaborar um bom plano de ação para fazer a gestão de custos logísticos de forma eficiente. Mas é imprescindível usar a tecnologia para auxiliar os processos e contar com a ajuda de uma empresa especializada, como a Fortes Tecnologia.

Quer aproveitar dos benefícios da tecnologia na gestão logística? Entre em contato conosco agora mesmo e conheça os sistemas que satisfarão as necessidades do seu negócio!

Fortes_Tecnologia_Banner_Fluxo_de_CaixaPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar