Gestão e Negócios

Gestão de Crise: 9 lições para aprender com a tragédia de Brumadinho

Brumadinho lições para aprender com a tragedia
Escrito por Isabel Holanda
Atualizado em: 18/04/2019 Tempo estimado de leitura: 9 minutos

O mundo inteiro até fora, acompanhou a tragédia que assola mais uma vez o estado de Minas Gerais e como a forma de despreparo de empresas como a Vale podem levar o caos e a morte de centenas de seres vivos. Desta vez na cidade de Brumadinho.

Além das orações que podemos fazer por todos os que estão lá, bombeiros, voluntários, policiais, sobreviventes e vítimas, o que mais poderíamos aprender com isso tudo?

É fato que sempre podemos e devemos aprender com todas as coisas que acontecem e tentar extrair uma lição para não cometer o mesmo erro. Neste momento, tentar mergulhar nos problemas e entender a crise é importante e precisa estar aberto a ouvir as críticas, além das opiniões dos especialistas da área.

A Vale pode até ter feito alguns procedimentos, mas não deve ter feito todo o seu dever de casa. Mais uma vez, o meio ambiente e as vítimas tiveram de pagar uma alta conta por esse erro grave.

Acompanhe este artigo e veja algumas dicas que podem ajudar a sua empresa a sair de uma crise de forma honesta e o mais tranquilo possível.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que aprender com esse erro?

Tentarei abordar nesse artigo algumas lições valiosas que podemos aproveitar para a vida e também para o mundo corporativo. O momento ainda é de extrema dor e comoção em todo o país, mas também de torcida para que tenha maior número de vítimas amparadas em meio a tantos processos judiciais.

A barragem I de rejeitos da mineradora Vale, que ficava na mina do Córrego do Feijão, se rompeu no dia 25 de janeiro. O mar de lama invadiu e destruiu a comunidade local, além do centro administrativo e do refeitório da empresa Vale. Entre as vítimas, estão moradores e funcionários da empresa e todos os seres vivos que habitavam a natureza naquele local.

Os números são alarmantes e até agora temos 166 mortos confirmados e 160 deles foram identificados, 155 ainda continuam desaparecidos.

Como aconteceu o desastre?

Para que você entenda melhor sobre o que vou abordar, fiz uma síntese de como aconteceu o rompimento. O método chamado de alteamento a montante, é mesmo método que foi utilizado na barragem de Fundão da empresa Samarco que rompeu em 2015 e dizimou pessoas, animais e vegetação em Mariana, também em Minas Gerais.

Esse método permite que o dique inicial seja ampliado para cima quando a barragem fica cheia, utilizando o próprio rejeito do processo de beneficiamento do minério como fundação da barreira de contenção. Dessa forma, a barragem vai sendo elevada numa espécie de degraus de acordo com o aumento do volume dos rejeitos.

A lama que é dispensada é formada basicamente por ferro, sílica e água. Parece um método simples, e é, mas também o mais perigoso.

9  lições que podemos tirar 

Baseado na tragédia de Brumadinho, vou listar a seguir 9 lições que podemos aprender com esse grande erro. Continue lendo!

1)Tenha uma pessoa que enxerga o papel de Líder da Situação

Não importa sobre qual crise ou situação difícil estamos falando, para todas, precisaremos de alguém que seja excelente comunicador, que tenha empatia, e que, principalmente, saiba do que está falando.

Em meio a essa crise, a equipe do corpo de bombeiros elegeu o seu porta voz para falar com a empresa e manter a população informada. O tenente Pedro Aihara aos 26 anos, esteve à frente das atualizações sobre a tragédia e conquistou a simpatia de quem o escutou pelo trabalho realizado e pela forma como tem comunicado as atualizações.

Especialista em Redução de Risco de Desastres, mantém uma comunicação simples, educada e constante com a empresa.  Em momentos difíceis precisaremos de alguém com essas características

2) Tenha uma visão do alto

Uma das estratégias adotadas pelo corpo de bombeiros em Brumadinho, foi utilizar vários helicópteros para alcançar locais inalcançáveis e que por terra não seria possível chegar. Sabemos que a utilização desse transporte faz parte das ações de resgates mais complicadas pelos bombeiros e polícia, mas o que quero realmente te mostrar é que quando a lama desce e aparentemente destrói tudo, haverá ações que você não conseguirá ver estando no mesmo nível do problema.

Por mais difícil que seja a situação, tente se afastar do furacão, pode ser por minutos ou horas, mas você precisa treinar sua visão para enxergar fora do perímetro, longe do que pode se chegar, seja a situação que for.

3) Utilize todos os recursos necessários

Na busca por sobreviventes, as equipes que estão no local tem utilizado cães farejadores, retroescavadeira para retirar entulhos e a lama mais dura, além helicópteros para sobrevoar regiões mais afetadas.

Comece então a utilizar o que você tem de recursos, pessoas, equipamentos e análises que você pode ter para lhe ajudar a sair dessa situação. Ficar esperando pelo perfeito ou ideal não vai te ajudar.

4) Peça ajuda a quem tem mais experiência ou que já passou pelo problema

O governo de Israel se ofereceu ao governo brasileiro para ajudar nas buscas, claro que os governantes poderiam ter recusado, mas ao contrário disso aceitaram a ajuda oferecida de quem entende bem sobre soterramento de pessoas.

Devido há varias explosões em seu país e a busca por sobreviventes, o exército de Israel desenvolveu alta tecnologia para buscas de sobreviventes, como equipamentos para mapeamento de celulares, sonares, radar que detecta o tipo de material que está no local e drones ligados a satélites para mapear a área atingida.

Existem situações que você poderá precisar de um mentor, alguém que já passou pelo que você ou sua empresa está passando e que poderá lhe orientar sobre os melhores caminhos e/ou recursos que ajudarão na situação. O segredo é não ter vergonha de pedir ajuda, de dizer que aquele é o seu limite.

5) Crie uma equipe multidisciplinar

Em casos de crise, muito se fala em criar um “Comitê de Crise”, esse comitê muitas vezes é composto por várias autoridades de múltiplos órgãos a fim de que todos pensem e criem estratégias e ações para mitigar a situação ou encontrar soluções.

No caso de Brumadinho, várias equipes se deslocaram para essa região, para ajudar nas buscas e resgate de sobreviventes. Profissionais da polícia militar, bombeiros, órgãos de segurança, saúde, segurança, representantes do governo e voluntários tem feito parte desse momento.

E não é diferente quando precisamos passar por situações complexas e difíceis. Quanto mais especialistas de outras áreas você poder contar e todos convergirem para o mesmo foco, que é resolver a crise com o menor número de baixas, mais rápido você conseguirá superar esse momento.

Por isso, acionar os principais setores estratégicos da sua empresa é imprescindível. Um dos primeiros, tem de ser o setor de comunicação empresarial (assessoria de imprensa, marketing, publicidade, relações públicas e porta voz) e de comunicação interna, todos devem estar alinhados com a estratégia de comunicação, passando todas informações sobre o caso destacado de forma ampla e honesta.

 

6) Esteja pronto para assumir riscos

Pode ser que com todo esse aparato, as coisas não saiam bem como você planejou. O número de desaparecidos diminui, mas em compensação o número de vítimas fatais aumentou.

Não foque no que você não conseguiu, esteja pronto para as situações que podem sair do seu controle, assume se tiver tido alguma falha, mas acima de tudo, faça o seu melhor.

Em momentos de crise, todos os seus gestores devem estar preparados, além de entender que a crise deve ser o momento e não o todo da sua empresa. O gerenciamento de crise é importante para que possa focar todos os setores em um mesmo patamar: o de resolução do problema de forma mais ágil possível.

7) Mitigue os danos pós-crise

É difícil ficar comparando situações vivenciais como a de Brumadinho, com situações de nosso cotidiano pessoal e corporativo, mas se você parar para analisar, você pode adotar algumas dessas medidas.

A Vale possui outra barragem bem próxima da que rompeu, a barragem VI. Atualmente existe o monitoramento dessa barragem em tempo integral. Além disso existe um rio próximo a todo esse rompimento que é o rio Paraopeba na região de Pará de Minas, o qual abastece a região e corre perigo de ser contaminado pelos rejeitos.

Para esse último caso, a empresa Vale se comprometeu em instalar uma membrana no rio a fim de evitar que rejeitos cheguem as margens e contamine as águas. Em nossas situações também podemos mitigar (diminuir) os danos.

Analise o que pode ser feito, não perca muito tempo lamentando o que aconteceu ou como seria diferente se você tivesse escolhido ou feito de outra forma. Analise o estrago e veja onde pode ser mitigado. Coloque uma membrana em seus pensamentos destrutivos e foco no que pode ser realizado a partir daí.

8) Encontre algo que te traga equilíbrio emocional e físico

A equipe de resgate montou uma estratégia para esse momento, foram formadas duas equipes, onde cada uma trabalha 24h. Quando uma das equipes está nas buscas, a outra equipe está descansando, se hidratando e se alimentando bem para continuar no trabalho complexo e exaustivo.

O que você tem feito para não ser consumido pelo cansaço e desgaste emocional que essas situações trazem? Busque descansar, estar com pessoas que você ama e se alimente. Ninguém é de ferro, então e se puder descanse o seu corpo, o esgotamento físico não permitirá que seu nível de atenção seja o suficiente para te ajudar a sair dessa.

9) Se não puder andar, rasteje

Os bombeiros precisam se deitar na lama para aumentar a área de atrito e não ficarem atolados na lama solta. Quando ficam em pé a lama cobre os militares até a cintura. Essa ação tem deixado os bombeiros exaustos, mas eles sabem do que o resultado do trabalho pode fazer a diferença pra alguém que está soterrado na lama.

Encontre motivação para seguir, se não puder andar, rasteje, mas o mais importante é não se entregar e nem ficar parado. Não permita que tudo o que quer te afundar, consiga.

Esperança por mudanças

Sei que toda essa situação é tão difícil, portanto, esperamos que a maioria das vítimas possam ser resgatadas, que hajam projeto de lei que endureça contra esse tipo de exploração mineral e com o descuidado com as pessoas, animais, vegetação e a vida de todos os envolvidos.

Oramos e torcemos para que Brumadinho possa se reerguer e que as vítimas possam reconstruir suas vidas diante de tantas perdas. Além de que o corpo de bombeiros, policiais, voluntários e todos os envolvidos saiam bem e inteiros dessa missão. Que cada pessoa que perdeu um ente querido possa ser confortada e principalmente que haja justiça para esse crime.

Gostou deste artigo? O que acha de ler este outro que escrevi falando sobre inteligência emocional? Espero que a leitura possa contribuir para a sua vida pessoal e profissional.

Fortes tecnologia apresenta indicadores estrategicosPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Isabel Holanda

Há mais 10 anos atuando na área de gestão de pessoas, atualmente, é gerente de conteúdo na Fortes Tecnologia. Graduada em Pedagogia pela UFC, com pós graduação em Gestão de Pessoas, Psicopedagogia e Life Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC). Além disso, é palestrante de temas relacionados aos subsistemas de RH com foco em liderança e desenvolvimento de equipes.

Deixar comentário.

Compartilhar