Gestão e Negócios

Os 7 erros de português mais comuns no trabalho

Apresenta apresenta erros de portgues
Escrito por Isabel Holanda
Atualizado em: 09/08/2019 Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Você se comunica bem? Como anda a sua fala e escrita? Se comunicar corretamente é obrigatório e um pré-requisito para os profissionais que querem crescer em suas carreiras, seja qual for a sua profissão. Em um mundo cada vez mais digital totalmente dominado por e-mails, redes sociais e aplicativos de mensagens como o WhatsApp, a comunicação escrita tem ocupado um espaço central em nosso dia a dia e também na comunicação dentro das organizações. Portanto, neste artigo abordo os principais erros de português!

Existe uma preocupação muito grande em estudar um segundo idioma e eu concordo que é preciso, mas ter o conhecimento em nossa língua é fundamental. Afinal, não é nada legal ser bilíngue e ainda praticar graves erros de português.

É preciso saber escrever com clareza e coerência —  ainda mais em situações profissionais – e dominar a norma culta do português é importante desde o processo seletivo. Então é bom tomar muito cuidado e estudar bem!

[rock-converter-pdf id = “21128”]

Os erros de português comprometem a sua imagem e colocam em cheque sua credibilidade como profissional. Selecionei os 7 principais erros entre os mais recorrentes, para que você possa estar atento em sua comunicação a partir de hoje. Afinal, a comunicação é uma das skills mais valorizadas no ambiente de trabalho.

Qual o impacto de escrever errado?

Como falei anteriormente a habilidade de se comunicar bem, de forma escrita e falada, tem se tornado uma fator decisivo desde o processo seletivo de candidatos até seu crescimento dentro da empresa. E não existe uma área específica que ela seja exigida, atualmente todos os recrutadores estão muito atentos a essa questão.

Se você acha que não está tão confiante em relação ao conhecimento da nossa língua mãe, sugiro-lhe que busque aprimorar esse conhecimento o quanto antes. Nunca é tarde para buscar conhecimento e deixar os erros de português para trás.

Em um estudo feito pelo PMI – Project Management Institute Brasil, analisando cerca de 300 empresas, dentre elas, empresas nacionais e multinacionais, foi identificado que  76% dos projetos não dão certo porque os colaboradores não sabem escrever nem falar bem. Ou seja, erros de português podem ser um grande problema na vida profissional.

Claro que isso é uma síntese de toda a análise realizada, mas você pode estar se perguntando – que relação tem saber escrever e me comunicar bem com a eficiência nos projetos? – Simples! Todo projeto se inicia com uma estrutura e com a venda dele para os Stakeholders. Se você não conseguir avançar nessas duas etapas, pode esquecer, pois o projeto passará longe de ser aprovado. É claro que isso vale para projetos e para todas as demais ações que você for fazer dentro da empresa.

O cuidado com a boa escrita tem início desde a elaboração do seu currículo até a forma como você se apresenta e redige suas ideias. Por isso, separei para você alguns materiais que considero bem legal para que você já inicie o seu aprimoramento nesse tipo de conhecimento e evite de uma vez por todas os erros de português:

 1. Gramática com humor: 5 dicas importantes

2. Eu/Mim 

3.  Pronomes 

4. Verbos

5. Sujeito

6. Crase

Os 7 erros de português mais comuns

Para que você não cometa deslizes, é super importante adotar o hábito da leitura, seja livros, jornais, revistas e sites. Outra dica importante é sempre que redigir algo, seja e-mail ou texto, faça uma revisão minuciosa antes de enviar.

Separei pra você, alguns erros muito comuns cometidos em ambientes corporativos que podem ser evitados. Confira abaixo:

1) “A nível de” ou “Em nível de”

Erro comum: A nível de projeto, o assunto deve ser melhor analisado.
Correto: Em relação ao projeto, o assunto deve ser melhor analisado.
Embasamento: É muito comum a utilização da expressão “a nível de” numa linguagem informal, todavia, seu emprego não é bem aceito pelos gramáticos, bem como de outra expressão: “em nível de”. Você só deve usar esta expressão “a nível de” quando na frase ela significar “à mesma altura”. Como também usar a expressão “em nível de” sempre que houver “níveis”: “Esse problema só pode ser resolvido em nível de presidência”.

2) “Anexo” ou “Anexa” ou “Em anexo”

Erro comum: Bom dia. Encaminho anexo os documentos que foram solicitados.
Correto: Bom dia. Encaminho anexos os documentos solicitados.
Embasamento: Neste  caso, “Anexo” é adjetivo e deve concordar em gênero e número com o substantivo a que se refere. Ex: Segue anexa a carta de apresentação. Embora “em anexo” não seja completamente errado, alguns gramáticos condenam a locução, dessa maneira dê preferência à forma sem a preposição “em”. Ex: O documento está anexo; as cópias estão anexas; o envio da carta anexa.

3) “Em mãos” ou “em mão”

Erro comum: “O motoboy entregou o documento em mãos.”
Correto: “O motoboy entregou o documento em mão.”
Embasamento: Há muito tempo, os dicionários só citavam a forma singular “em mão”, mas atualmente, as duas formas são aceitas por alguns dicionários, portanto, é ideal usarmos a primeira situação para evitar erros. A expressão, como já deve saber, é usada para indicar que a carta ou outro documento enviado a alguém é, ou deve ser, entregue ao destinatário por um mensageiro particular.

4) “A” ou “há”

Erro comum: “Trabalho nesta empresa a dez anos.”
Correto: “Trabalho nesta empresa há dez anos.”
Embasamento: Usa-se “há” quando o verbo “haver” é impessoal, tem sentido de “existir” e é conjugado na terceira pessoa do singular. Exemplo: Há um modo mais fácil de fazer essa receita.

Uma dica fácil pra você não errar mais nessa situação, é só substituir por “faz” nas expressões indicativas de tempo. Se a substituição não alterar o sentido real da frase, emprega-se “há”. Aplicando essa dica no nosso exemplo de cima, fica assim:  “Trabalho nesta empresa faz dez anos”. Percebeu que o sentido não foi alterado?

5) “Porque” ou “Por que”

Erro comum: “Ninguém soube porque o presidente cancelou o projeto.”
Correto: “Ninguém soube por que o presidente cancelou o projeto.”
Embasamento: “Porque” junto é conjunção e tem a função de unir duas orações coordenadas. Por que separado é usado em frases interrogativas e, também, aparece nos casos em que puder ser substituído por “pelo qual” ou “por qual razão”.

Ainda temos mais algumas formas, quando vier antes de um ponto – final, interrogativo, exclamação – o “por quê” deverá vir acentuado e continuará com o significado de “por qual motivo”, “por qual razão”), porquê (é substantivo e tem significado de “motivo”, “razão”. Ele vem acompanhado de determinante, como um artigo, pronome, adjetivo ou numeral).

Podemos dizer que esse é um dos erros de português mais comuns. Muitas pessoas não sabem responder de imediato a diferença dos porquês.

6) “Este”, “Esse” ou “Aquele”

Erro comum: “Em nosso treinamento, serão tratados esses itens a seguir:…”

Correto: “Em nosso treinamento, serão tratados estes itens a seguir:…”

Embasamento: Para os pronomes demonstrativos, são os que indicam o lugar em que uma pessoa ou coisa se encontra. Isto é, a posição dos seres em relação às três pessoas do discurso.
1ª pessoa: este, esta, isto;
2ª pessoa: esse, essa, isso;
3ª pessoa: aquele, aquela, aquilo

Dá uma olhada neste vídeo sobre o assunto!

7) “Perca”  ou “Perda” 

Erro Comum: “Não quero que ele perda essa vaga!”
Correto: “Não quero que ele perca essa vaga!”
Embasamento: “Perca” é uma forma verbal, ou seja, flexão do verbo “perder”. Aparece na primeira e terceira pessoas do singular do presente do subjuntivo e na 3ª pessoa do singular do imperativo. Exemplos:  Não perca tempo! (3ª pessoa do singular do imperativo)

Já “perda” é um substantivo, um exemplo seria: “Tomara que não haja perda de bagagens nesta companhia aérea.”

Algumas outras dicas

Fique ligado quanto à digitação. Em alguns casos, na pressa, digitamos muito rápido com a intenção de “nos livrar” daquela pendência ou demanda e acabamos trocando as letras de uma palavra, construindo frases sem conexão. Então, antes de enviar algo, leia tudo novamente e em voz alta.

O uso de vírgulas faz toda diferença na comunicação escrita, a dica que eu dei no tópico acima vale também pra esse momento. Quando você sentir que deve fazer uma pausa no parágrafo, acrescente a vírgula sem medo de ser feliz. Atente apenas para uma pequena e importante observação, nunca, jamais em sua vida, separe o sujeito do verbo, eles nasceram pra ficarem juntos, não seja o vilão da história. Veja esse exemplo: “os resultados, foram positivos”. O correto é: ” os resultados (sujeito) foram (verbo) positivos.

Os acentos também são super importantes para evitar erros de português. Palavras não acentuadas dão a ideia de que você não se deu ao trabalho de digitar da forma correta e essa comodidade não é bem-vista pelos recrutadores. Claro que essa é a visão mais positiva da coisa, em alguns casos seu conhecimento na língua portuguesa pode ser colocado em cheque.

E por fim, se tiver dúvida, peça ajuda! Pesquisar no Google é fundamental, não tem nada que você não pergunte que ele não saiba responder. Espero ter ajudado e te espero no próximo artigo!

fortes-tecnologia-rock-content-marketing-digitalPowered by Rock Convert

Sobre o autor

Isabel Holanda

Há mais 10 anos atuando na área de gestão de pessoas, atualmente, é gerente de conteúdo na Fortes Tecnologia. Graduada em Pedagogia pela UFC, com pós graduação em Gestão de Pessoas, Psicopedagogia e Life Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC). Além disso, é palestrante de temas relacionados aos subsistemas de RH com foco em liderança e desenvolvimento de equipes.

Deixar comentário.

Compartilhar