Gestão de transporte

Saiba como fazer a gestão de custo de frota e reduzir gastos

Escrito por Fortes Tecnologia
Publicado em: 08/06/2020 Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Assim como acontece com os demais departamentos de uma empresa, o setor logístico reúne alguns desafios peculiares. No caso de organizações que concentram a maior parte de suas ações no transporte de mercadorias, os cuidados com o custo de frota se intensificam.

Essa é a realidade de uma distribuidora de alimentos, por exemplo. Como gestor financeiro desse tipo de negócio, você sabe que os gastos para manter o conjunto de veículos em pleno funcionamento são inevitáveis. Mas, por meio de uma gestão logística inteligente, é perfeitamente possível diminuir os impactos dessas despesas nas finanças do negócio.

A seguir, você não só ficará por dentro das principais origens do custo de frota, como aprenderá a reduzi-lo de um jeito prático, simples e eficaz. Boa leitura!

Combustível

Já que estamos falando sobre gerenciamento de frota de veículos, o abastecimento aparece como um dos itens que merecem controle especial. Afinal, o consumo de combustível faz parte do dia a dia de qualquer transportadora. Para suprir essa necessidade de forma econômica — ou seja, sem comprometer o caixa do negócio —, é preciso dimensionar essa variante de gasto.

Nessa linha de pensamento, você deve atentar aos aspectos que interferem no total alocado para o abastecimento da frota. Esse é um ponto em que muitos gestores cometem equívocos, e um deles é acreditar que basta consultar o preço médio do combustível utilizado.

Lembre-se de que existem outros fatores igualmente relevantes, como o total de quilômetros rodados. A fim de se obter uma visão mais ampla sobre o peso desse elemento nas contas da empresa, é vital checar, também, a quilometragem média unitária.

Isso, porque o rendimento de cada caminhão não é necessariamente o mesmo. Na verdade, a relação km/l pode ser tão diversa que se torna outro fator importante de análise do custo de frota. A avaliação, inclusive, é extremamente oportuna para identificar se sua empresa está utilizando os veículos apropriados. Sob o ponto de vista econômico, será que a frota atual consome mais combustível do que deveria?

Essa é uma pergunta que precisa ser respondida o quanto antes. Em alguns casos, a renovação gradual da frota com modelos mais econômicos já surte um efeito interessante na amenização dos gastos.

O ideal é elaborar um planejamento para que essa substituição de veículos aconteça em períodos regulares. Caso isso seja inviável no momento, convém buscar alternativas para a formação da frota, que pode ser própria ou terceirizada.

Desse modo, conquista-se uma redução de custos mais efetiva. Afinal, uma vez que as empresas não exercem controle sobre a atualização de preços dos combustíveis, em vez de lamentar os custos que fogem ao controle, você precisa se preocupar em gerir aquilo que está a seu alcance.

Manutenções

Além de manter o tanque de combustível constantemente abastecido, as transportadoras precisam ter as manutenções dos veículos em dia. A periodicidade de verificações preventivas da frota responde por uma considerável redução dos custos atrelados aos reparos — quando necessários.

Entender isso é simples: ao priorizar as manutenções preventivas, a organização descobre eventuais problemas com antecedência. No caso de sistemas mecânicos, a percepção antecipada de desgastes em determinadas peças evita a ampliação do problema. O mesmo se aplica à parte elétrica.

A troca dos itens na hora certa faz com que os demais elementos do conjunto sejam preservados. O resultado final pode ser constatado em uma profunda economia com manutenções futuras. Para tanto, note que é necessário criar um cronograma para enviar os veículos para análise técnica.

O processo exige uma boa dose de organização e, mais uma vez, planejamento. Basta imaginar que o trabalho envolve o cálculo de perdas geradas pelo intervalo por que cada veículo estiver fora de atividade. O trabalho despendido nessa medida é alto, mas recompensador, já que os gastos gerados com manutenções corretivas costumam ser elevados.

No que diz respeito aos pontos que merecem uma inspeção criteriosa, um dos mais frequentes é a gestão dos pneus. Existem, entretanto, outros aspectos que requerem avaliações permanentes:

  • fluidos do motor;
  • filtros de óleo e de ar;
  • sistema de frenagem;
  • sistema elétrico;
  • módulo de injeção.

Treinamentos

Os treinamentos de funcionários devem ser encarados como um investimento. No setor de logística, eles são relevantes para, por exemplo, apresentar o funcionamento de sistemas informatizados dos veículos. Atualmente, as frotas mais modernas são constituídas por recursos altamente tecnológicos.

Independentemente da experiência dos motoristas, existe um tempo para que eles se familiarizem com as novidades. A fim de diminuir esse período, a empresa precisa oferecer treinamentos que facilitem a assimilação das funcionalidades das novas ferramentas.

Desse modo, os colaboradores se sentirão mais confiantes para continuar desempenhando suas atividades com total segurança. Além de assegurar a tranquilidade dos funcionários, os treinamentos contribuem bastante para a diminuição dos riscos de acidentes.

Impostos e documentações

Este é um dos detalhes mais decisivos no lucro de qualquer empresa. Trata-se, basicamente, de dois pagamentos regulares: o IPVA e o DPVAT. O primeiro se refere a um dos inúmeros impostos que recaem sobre uma transportadora. O segundo é um seguro obrigatório destinado a ressarcir terceiros por danos em acidentes automobilísticos.

Gestão de custo de frota eficaz

Atualmente, nós podemos resumir uma gestão de frota excelente em uma única palavra: tecnologia. Em um mercado caracterizado por uma competição elevada entre as empresas, a modernização dos modelos de negócio se transformou em algo ainda mais essencial.

Boa parte do aumento dos gastos ligados às transportadoras redunda do recrudescimento da complexidade dos processos realizados. Isso já é uma realidade da qual não se pode escapar.

Contudo, o problema apresenta uma solução incrivelmente simples: utilizar um software de gestão de frota. Com ele, você poderá automatizar todos aqueles processos confusos e complicados — tudo com precisão e sem falhas humanas.

Com um sistema de gestão adequado às necessidades da sua transportadora, a redução do custo de frota será apenas uma das vantagens. Imagine a possibilidade de passar a exercer pleno controle sobre os gastos com combustível, treinamentos, impostos e manutenções. Isso não apenas promove economia, como melhora a qualidade dos resultados e, consequentemente, amplia os lucros.

Quer levar todos esses benefícios para a sua empresa? Venha conhecer o sistema Fortes Frota, que oferece todas as vantagens mencionadas e muito mais!

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar