Gestão de pessoas

Como desenvolver um plano de carreira compatível com a empresa?

Como desenvolver um plano de carreira compatível com a empresa? 1
Escrito por Fortes Tecnologia
Atualizado em: 18/12/2017 Tempo estimado de leitura: 5 minutos

O desenvolvimento de um plano de carreira é um passo muito importante para uma empresa, pois ele permite dar continuidade ao trabalho com a valorização dos profissionais. Para isso, deve haver a participação dos colaboradores de diversos setores — Recursos Humanos, Departamento Pessoal e Contabilidade.

Com isso, será possível estabelecer jornadas de crescimento de acordo com a realidade da empresa. Mas, como criar um plano que atenda as necessidades dos envolvidos sem afetar o orçamento da corporação? Veja as dicas!

Por que criar um plano de carreira na empresa?

Segundo a pesquisa realizada pelo LinkedIn, os grandes líderes do setor de atração de talentos entendem que uma métrica importante para a empresa é a análise sobre a rotatividade dos funcionários. Nesse sentido, 42% dos entrevistados consideram a retenção de talentos prioridade em um período de 12 meses.

Sendo assim, a retenção de talentos se torna primordial para uma companhia que pretende crescer e fechar bons negócios. Por isso, é fundamental pensar em estratégias para manter os talentos na companhia e realizar campanhas de recrutamento interno.

Como criar um plano de carreira que atenda às necessidades da empresa e dos funcionários?

Conhecer as expectativas dos colaboradores é essencial para elaborar um plano de carreira. Contudo, também é necessário considerar a situação financeira da companhia e fazer um planejamento para longo prazo. Confira!

Estabeleça metas e prazos possíveis

Faça uma lista sobre os atuais cargos existentes na empresa e os respectivos salários. Descreva as características necessárias para que um profissional atue em determinada função.

Caso haja uma variação entre funções semelhantes, procure identificar quais são as diferenças entre elas e o nível salarial. Isso é importante para entender como funciona, atualmente, a projeção do funcionário dentro da companhia.

Depois de detalhar todas as funções é hora de criar um plano de ascensão de cargos na empresa. Quais são os conhecimentos necessários para um contador passar de “júnior” para “pleno”? Quanto tempo de experiência no mercado é preciso para receber essa progressão? E quanto tempo dentro da empresa? Quais os cursos necessários para mudar de cargo?

Ao responder a essas perguntas você conseguirá criar uma lógica para a progressão na carreira. Por exemplo: você pode determinar que um profissional júnior precisa atuar, pelo menos, um ano na empresa e fazer uma especialização para subir de cargo.

Entenda as novas trilhas de carreira

Há diferentes trilhas de carreira utilizadas para a gestão de pessoas. Entre elas estão a Y e a W. Esses modelos permitem acompanhar a evolução do profissional e adaptar o seu crescimento de acordo com as suas especialidades. Veja:

Plano de carreira em formato Y

O modelo sugere que o crescimento na empresa siga o padrão da própria letra “Y”. Ou seja, o colaborador poderá optar por crescer a partir de um cargo de diferentes maneiras: como um especialista ou como um gestor.

Em algumas áreas, como de pesquisa e desenvolvimento, esse modelo pode ser indicado porque ele possibilita que o profissional traga ideias inovadoras para que a companhia se destaque em relação à concorrência. Já em um setor administrativo, por exemplo, o profissional geralmente consegue alcançar como nível máximo uma coordenação.

Plano de carreira em formato W

Esse modelo também permite que o profissional possa escolher dois caminhos — especialização ou gestão — e um terceiro que faz uma mistura dos dois.

Nesse formato de carreira W, o funcionário pode ser um gestor de projetos que monitora o desempenho da equipe, repassa feedbacks e funciona como um consultor. Ele é muito utilizado em empresas de tecnologia, por exemplo, que possuem uma ramificação maior de atividades.

A empresa Embraco, por exemplo, recentemente mudou o seu formato de promoção na carreira. Ao perceber que muitos profissionais não se adequaram como líderes, ela adotou o modelo W. Ele é ideal para setores que exigem conhecimento técnico, têm profissionais qualificados e que podem contribuir com a gestão de projetos e orientação de novos colaboradores.

Faça Benchmarking

Avalie quais são os critérios utilizados pelas demais empresas do mercado para oferecer uma progressão funcional e também quais são os salários oferecidos. Dessa maneira, você saberá como criar um plano de carreira eficiente para a companhia, sem oferecer benefícios demais ou de menos.

Também vale a pena verificar se existe algum plano de carreira que esteja atraindo e retendo mais talentos nas corporações. Afinal, um caso de sucesso pode sempre servir de inspiração para oferecer boas oportunidades para os colaboradores da sua empresa.

Lembre-se que manter profissionais qualificados na empresa é uma maneira de se destacar perante a concorrência. Muitas vezes, é melhor oferecer bolsas de estudo ou dar flexibilidade de horário para que o funcionário possa se desenvolver. Assim, você terá uma equipe engajada, atualizada e pronta para enfrentar os desafios do dia a dia.

Esteja preparado para dar feedback

O feedback é uma ferramenta muito importante para a corporação e para o funcionário. Ele permite que os trabalhos sejam ajustados de acordo com as necessidades da companhia, bem como permite que o colaborador se desenvolva como profissional.

Por isso, é recomendável conversar com clareza sobre os objetivos da empresa, o plano de carreira e o que faltou para um funcionário receber uma promoção, por exemplo. Assim, ele poderá corrigir suas falhas e se esforçar mais para progredir em um próximo momento.

Avalie os cenários econômicos com a promoção dos funcionários

O plano de carreira é uma metodologia que contribui para proporcionar mais motivação para os funcionários, mas também para aumentar a produtividade. Porém, não adianta estabelecer uma hierarquia funcional e não ter condições de implantar o processo.

Por isso, é essencial avaliar o cenário econômico da corporação antes de adotar um plano de carreira. Quais os impactos da falta de retenção de talentos para a companhia? Qual a capacidade financeira de promover um aumento salarial para os funcionários? E se vários profissionais alcançarem as metas para o progresso na carreira, como isso funcionará?

É preciso ter consciência sobre a capacidade financeira de suportar a evolução dos profissionais dentro da empresa. Caso contrário, o plano de carreira se transforma em uma promessa vazia.

Agora você já sabe o que avaliar na hora de criar um plano de carreira. Veja o nosso post sobre os principais indicadores de desempenho e saiba por que você deve monitorá-los!

Como desenvolver um plano de carreira compatível com a empresa? 2Powered by Rock Convert

Sobre o autor

Fortes Tecnologia

Deixar comentário.

Compartilhar